Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

31

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

31

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 90 Número 1




Voltar ao sumário

 

Revisão

Urticária crônica em adultos: o estado da arte no novo milênio*

Chronic urticaria in adults: state-of-the-art in the new millennium*


Paulo Ricardo Criado1; Roberta Facchini Jardim Criado2; Celina Wakisaka Maruta1; Vitor Manoel Silva dos Reis1

1. Universidade de São Paulo (USP) - São Paulo (SP), Brasil
2. Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) - Santo André (SP), Brasil

Recebido em 05.03.2 014.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 04.06.2014.
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Criado PR, Criado RFJ, Maruta CW, Reis VMS. Urticária crônica em adultos: o estado da arte no novo milênio. An Bras Dermatol. 2015;90(1):73-89.

Correspondência:

Vitor Manoel Silva dos Reis
Av. Dr. Enéias de Carvalho Aguiar 255 3º andar - Dermatologia
05403-000 - São Paulo - SP Brasil
E-mail: vitoreis76@hotmail.com

 

Resumo

Neste novo milênio, a urticária crônica tem sido explorada em vários aspectos investigativos quanto a sua natureza fisiopatogênica, seu posicionamento como doença autoimune ou autorreativa, sua correlação com fatores genéticos ligados ao HLA, especialmente o de classe II, e sua inter-relação com o sistema de coagulação e fibrinólise. Ao longo da última década, surgiram e foram comercializados novos anti-histamínicos de segunda geração, que atuam como bons controladores sintomáticos. Velhas e novas drogas têm emergido e sido utilizadas no tratamento, as quais podem interferir na fisiopatogenia da doença, tais como a ciclosporina e o omalizumabe. O objetivo deste artigo é posicionar o estado atual do conhecimento sobre aspectos da fisiopatogenia da urticária crônica, seu diagnóstico e a atual abordagem terapêutica proposta na literatura médica.

Palavras-chave: Angioedema; Ciclosporina; Colchicina; Dapsona; Fatores biológicos; Imunossupressores; Urticária

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações