Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 90 Número 1




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Infecção cutânea por Mycobacterium chelonae em paciente portadora de doença mista do tecido conjuntivo*

Mycobacterium chelonae cutaneous infection in a patient with mixed connective tissue disease*


Renan Lage1; Danilo Guerreiro Zeolo Biccigo1; Felipe Borba Calixto Santos1; Erica Chimara2; Elisangela Samartin Pegas Pereira1; Adilson da Costa1

1. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC Campinas) - Campinas (SP), Brasil
2. Instituto Adolfo Lutz - São Paulo (SP), Brasil

Recebido em 13.11.2012.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 21.10.2013.
Suporte financeiro: nenhum
Conflito de interesses: nenhum
Como citar este artigo: Lage R, Biccigo DGZ, Santos FBC, Chimara E, Pereira ESP, Costa A. Infecção cutânea por Mycobacterium chelonae em paciente portadora de doença mista do tecido conjuntivo. An Bras Dermatol. 2015;90(1):105-8.

Correspondência:

Renan Lage
Av. John Boyd Dunlop, s/nº, Jardim Ipaussurama
13060-904 - Campinas - SP Brasil
E-mail: renanmedxxxv@yahoo.com.br

 

Resumo

Aproximadamente 50 espécies de micobactérias causam doenças no homem. Estados de imunossupressão predispõem a infecções por micobactérias não tuberculosas, dentre elas o Mycobacterium chelonae: BAAR, não tuberculoso, de rápido crescimento, de baixa virulência e incomum patógeno humano. A infecção pode acometer pele, partes moles, pulmões e linfonodos, mas pode também ser disseminada. O diagnóstico envolve pesquisa de BAARs e cultura em meio ágar Löwenstein-Jensen. Relata-se o caso de paciente feminina de 41 anos com DMTC (predomínio de LES), referindo nódulos indolores no antebraço direito. Negava trauma local. Estava em imunossupressão por 24 meses com prednisona e ciclofosfamida. A biópsia da lesão demonstrou baciloscopia (coloração de Ziehl-Neelsen) positiva e a cultura (meio de Löwenstein-Jensen) foi positiva para M. chelonae. Foi logo iniciado o tratamento com claritromicina oral, que é a melhor escolha segundo a literatura.

Palavras-chave: Claritromicina; Doença mista do tecido conjuntivo; Imunossupressão; Micobactérias não tuberculosas; Mycobacterium chelonae; Mycobacterium fortuitum; Pele; Prednisona; Virulência

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações