Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

19

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

19

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 90 Número 3 S1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Mucinose folicular: importante diagnóstico diferencial de hanseníase em área endêmica*

Follicular mucinosis: an important differential diagnosis of leprosy in an endemic area*


Danielle Cristine Westphal1; Silmara Navarro Pennini1; Petra Pereira de Souza1; Gustavo Ávila Maquiné2; Antônio Pedro Mendes Schettini1; Mônica Santos1,3

1. Fundação Alfredo da Matta (FUAM) - Manaus (AM), Brasil
2. Secretaria Municipal de Saúde de Manaus - Manaus (AM), Brasil
3. Universidade do Estado do Amazonas (UEA) - Manaus (AM), Brasil

Recebido em 14.02.2014.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 16.03.2014.
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Westphal DC, Pennini SN, Souza PP, Maquiné GA, Schettini APM, Santos M. Mucinose folicular: importante diagnóstico diferencial de hanseníase em área endêmica. An Bras Dermatol. 2015;90(3 Supl 1):S143-5.

Correspondência:

Mônica Santos
Av. Codajás, 25 Cachoeirinha
69065-130 - Manaus - AM Brasil
E-mail: m.n.souza.santos@gmail.com

 

Resumo

A mucinose folicular primária é uma dermatose rara, caracterizada pelo acúmulo de mucina no epitélio folicular e nas glândulas sebáceas. Clinicamente, caracteriza-se pela presença de pápulas ou placas bem delimitadas e infiltradas. Nesse trabalho, relata-se caso de paciente do sexo feminino, 7 anos, evoluindo há três meses com placa assintomática, eritematosa e infiltrada, localizada na região mentoniana. A pesquisa da sensibilidade térmica, dolorosa e tátil foi inconclusiva. Os achados histológicos confirmaram o diagnóstico de mucinose folicular. Houve regressão da lesão com uso de corticoide tópico de média potência por 20 dias. A patogênese da mucinose folicular permanece desconhecida, estando, em alguns casos, associada a doenças linfoproliferativas. Em áreas endêmicas de hanseníase, lesões isoladas e infiltradas de mucinose folicular devem ser ainda diferenciadas da hanseníase.

Palavras-chave: Diagnóstico diferencial; Hanseníase tuberculoide; Mucinose folicular

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações