Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

3

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

3

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 90 Número 6




Voltar ao sumário

 

Dermatopatologia

Características morfométricas nucleares e texturais da cromatina do carcinoma basocelular*

Nuclear morphometry and chromatin textural characteristics of basal cell carcinoma*


Paola Jung Mendaçolli; Gabrielli Brianezi; Juliano Vilaverde Schmitt; Mariângela Esther Alencar Marques; Hélio Amante Miot

Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) - Botucatu, SP, Brasil

Recebido em 29.09.2014
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 22.10.2014
Suporte Financeiro: FAPESP, processo nº 2012/21929-5
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Mendaçolli PJ, Brianezi G, Schmitt JV, Marques MEA, Miot HA. Características morfométricas nucleares e texturais da cromatina do carcinoma basocelular.. An Bras Dermatol. 2015;90(6):874-8.

Correspondência:

Gabrielli Brianezi
Distrito de Rubião Jr. s/n, Departamentos de Dermatologia e de Patologia Faculdade de Medicina de Botucatu - Unesp
18618-000 - Botucatu - SP Brasil
Email: gabriellibrianezi@gmail.com

 

Resumo

Subtipos histológicos do carcinoma basocelular apresentam comportamentos, biológico e evolutivo, e prognósticos distintos. A análise de características dos núcleos pode fornecer dados sobre sua fisiologia celular e seu comportamento. Neste estudo, os autores avaliaram parâmetros morfológicos nucleares e padrões texturais da cromatina de diferentes subtipos de carcinoma basocelular: nodular (n=37), superficial (n=28) e esclerodermiforme (n=28). As variáveis foram comparadas entre os subtipos de neoplasia e com o epitélio basal normal adjacente. Área e diâmetro nucleares das neoplasias esclerodermiformes foram maiores que os demais subtipos. A intensidade de coloração e a dimensão fractal da cromatina foram menores nas formas superficiais. Circularidade nuclear e entropia da cromatina foram menores no epitélio normal do que nas neoplasias. Houve correlação significativa entre variáveis morfométricas e texturais da pele normal e das neoplasias. Elementos morfométricos e de homogeneidade textural da cromatina de carcinomas basocelulares podem estar relacionados a características de comportamentos biológico e evolutivo ligados a cada histotipo.

Palavras-chave: Carcinoma basocelular; Cromatina; Cariometria; Processamento de imagem assistida por computador; Prognóstico

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações