Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 75 Número 4




Voltar ao sumário

 

Investigação

Estudos clínico e experimental sobre o envenenamento causado pelo peixe Thalassophryne nattereri (niquim)

Clinical and experimental studies regarding poisoning caused by a fish Thalassophryne nattereri (niquim)


LUIZ ALBERTO FONSECA DE LIMA1, MÔNICA LOPES FERREIRA2

1Professor Adjunto de Dermatologia.
2Bióloga, Laboratório de Imunopatologia - Instituto Butantan, SP.

Recebido em 23.7.1999. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 26.6.2000. Trabalho realizado no Hospital José Carneiro, Escola de Ciências Médicas de Alagoas - ECMAL.

Correspondência:
Luiz Alberto Fonseca de Lima Rua Hélio Pradines, 225 / 601 Maceió AL 57035-220

 

Resumo

*Fundamentos:* Os acidentes causados por animais marinhos ou fluviais são denominados ictismo, e seu mecanismo fisiopatológico é pouco conhecido. As vítimas mais freqüentes de acidentes provocados pelo T. nattereri são os pescadores, que têm suas atividades laborativas impedidas pelo edema, dores intensas e/ou seqüelas funcionais. *Objetivos:* Avaliação clínica dos pacientes acidentados com o T. nattereri, um estudo dos principais efeitos tóxicos presentes no veneno (dor, edema e necrose) e a avaliação da potencialidade de um antissoro produzido em coelhos para neutralizar in vitro as atividades tóxicas do veneno. *Métodos:* Após a captura do peixe é feita a extração da peçonha, determinando-se suas atividades nociceptivas, edematogênicas e necrosantes. Coelhos foram imunizados para a obtenção do soro antiveneno do T. nattereri. Foi realizado o acompanhamento clinicoterapêutico dos pacientes acidentados. *Resultados:* Tanto clínica quanto experimentalmente as atividades dolorosas e edematogênicas foram as mais relevantes, e a atividade necrótica só foi observada após inoculação mais concentrada do veneno. *Conclusão:* O soro antiveneno obtido pela imunização de coelhos foi capaz de neutralizar as atividades dolorosas e necrosantes.

Palavras-chave: PEIXES VENENOSOS., FAUNA AQUÁTICA, IMUNIZAÇÃO PASSIVA, PEIXES

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações