Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

28

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

28

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 91 Número 3




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Sociedade Brasileira de Dermatologia no combate à hanseníase*

Brazilian Society of Dermatology against leprosy*


Joel Carlos Lastória1; Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu2

1. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) - Botucatu (SP), Brasil
2. Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) - Presidente Prudente (SP), Brasil

Recebido em 19.04.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 13.07.2015
Suporte financeiro: nenhum.
Conflito de interesses: nenhum.
Como citar este artigo: Lastória JC, Morgado de Abreu MAM. Sociedade Brasileira de Dermatologia no combate à hanseníase. An Bras Dermatol. 2016:91(3):397-9.

Correspondência:

Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu
Hospital Regional de Presidente Prudente/Unoeste
Rua José Bongiovani, 1.297 Vila Liberdade
19050-680 - Presidente Prudente - SP Brasil
Email: marildaderma@bol.com.br

 

Resumo

A Sociedade Brasileira de Dermatologia promoveu uma campanha nacional contra a hanseníase em 2012, envolvendo suas regionais, serviços credenciados e serviços de referência em hanseníase. Consistiu em esclarecimentos à população sobre a doença e em um dia de atendimento voluntário. Noventa serviços (57 serviços credenciados e 33 serviços de referência) participaram, distribuídos em 23 estados. Foram examinadas 3.223 pessoas, e 421 novos casos foram diagnosticados - 54,4% no sexo feminino, 74,3% em indivíduos com idade entre 19 e 64 anos e 8,3% em menores de 15 anos. Dos 217 casos classificados, 58,5% eram paucibacilares e 41,5%, multibacilares. Os resultados foram divulgados no site da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Palavras-chave: Diagnóstico; Epidemiologia; Hanseníase; Prevenção de Doenças Transmissíveis; Controle de Doenças Transmissíveis

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações