Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

22

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

22

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 91 Número 4




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Perfil clínico, epidemiológico e terapêutico de pacientes com prurido braquiorradial em um serviço de referência em Dermatologia*

Clinical, epidemiological and therapeutic profile of patients with brachioradial pruritus in a reference service in dermatology*


Ana Cecília Versiani Duarte Pinto1; Patrick Alexander Wachholz2; Paula Yoshiko Masuda1; Antonio Carlos Ceribelli Martelli1

1. Instituto Lauro de Souza Lima (ILSL) – Bauru (SP), Brasil
2. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) – Botucatu (SP), Brasil

Recebido em 28.05.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 25.08.2015
Suporte Financeiro: Nenhum.
Conflito de Interesses: Nenhum.
Como citar este artigo: Pinto ACVD, Wachholz PA, Masuda PY, Martelli ACC. Perfil clínico, epidemiológico e terapêutico de pacientes com prurido braquiorradial em um serviço de referência em Dermatologia. An Bras Dermatol. 2016;91(4):549-51.

Correspondência:

Patrick Alexander Wachholz
Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, km 225/226 Bauru
17034-971 - São Paulo - SP Brasil
Email: p_wachholz@hotmail.com

 

Resumo

Estudo observacional transversal descritivo realizado entre maio e novembro de 2014 em unidade de referência em Dermatologia, mediante revisão de prontuários e entrevistas. Em amostra de 49 pacientes com prurido braquiorradial, observou-se predomínio de mulheres (73,5%) caucasianas (81,6%), com idade média de 56,1 anos. O prurido ocorreu em topografia do músculo braquiorradial em 87,8% dos casos; 59,2% dos pacientes relataram piora com a exposição solar; e a intensidade média do prurido antes do tratamento foi de 8,63. Constatou-se efetividade terapêutica descrita como "muito boa" ou "boa" em 79,2% dos casos e, para 55,3% dos pacientes, as recidivas foram "pouco frequentes".

Palavras-chave: Epidemiologia descritiva; Estudos de casos; Manifestações cutâneas; Prurido; Relatos de casos

© 2021 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações