Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

36

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

36

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 91 Número 5




Voltar ao sumário

 

Revisão

Cicatrização cutânea - Revisão da literatura*

Wound healing - A literature review*


Ana Cristina de Oliveira Gonzalez1; Tila Fortuna Costa2; Zilton de Araújo Andrade1; Alena Ribeiro Alves Peixoto Medrado2

1. Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Salvador, BA, Brasil
2. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) – Salvador (BA), Brasil

Recebido em 22.05.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 10.08.2015
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Gonzalez AC, Costa TG, Andrade ZA, Medrado ARAP. Cicatrização cutânea - Revisão da literatura. An Bras Dermatol. 2016;91(5):614-20.

Correspondência:

Ana Cristina de Oliveira Gonzalez
R. Waldemar Falcão, 121 Candeal
40296-710 - Salvador - BA Brasil
E-mail: tilafortuna@gmail.com

 

Resumo

Os processos de regeneração e reparo tecidual compreendem uma sequência de eventos moleculares e celulares que ocorrem após o estabelecimento de uma lesão tecidual a fim de restaurar o tecido lesado. As fases exsudativa, proliferativa e de biossíntese e remodelamento da matriz extracelular são eventos sequenciais que ocorrem por meio da integração de processos dinâmicos que envolvem mediadores solúveis, células sanguíneas e células parenquimatosas. Os fenômenos exsudativos que se estabelecem após a lesão contribuem para o desenvolvimento do edema tecidual. A fase proliferativa tem como objetivo diminuir a área de tecido lesionado através da contração de miofibroblastos e da fibroplasia. Nesta fase, observam-se ainda os processos de angiogênese e reepitelização. As células endoteliais são capazes de se diferenciar em componentes mesenquimais, e esta diferenciação parece ser finamente orquestrada por um conjunto de proteínas sinalizadoras que vem sendo estudado na literatura. Trata-se da via conhecida como Hedgehog. O objetivo desta revisão de literatura é descrever os diversos aspectos celulares e moleculares envolvidos no processo de cicatrização cutânea.

Palavras-chave: Cicatrização; Inflamação; Proliferação de células; Proteínas Hedgehog

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações