Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 75 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Auto-anticorpos e manifestações reumáticas em pacientes com mal de Hansen

Autoantibodies and rheumatic manifestations in patients with Hansen''''s disease


PATRÍCIA DACAS1, MARILIA PICANSO1, GEORGETTE MOUCHAILEH2, LUCIANA PERCEGONA3, MIRION THAIZ SCHULTZ4, MARILIA GAMEIRO B. SILVA5, THELMA L. SKARE6

1Doutoranda.
2Aluna do 5º ano.
3Residente 1, Clínica Médica - Hospital Universitário Evangélico de Curitiba.
4Farmacêutica e Bioquímica, Laboratórios GR de Curitiba.
5Professora Assistente, Disciplina de Reumatologia.
6Professora Assistente, Disciplina de Clinica Médica e Diagnóstico.

Recebido em 16.10.1998. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 7.8.2000. Trabalho realizado na Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná - FEMPAR.

Correspondência:
Thelma L. Skare Rua João Alencar Guimarães, 796 Curitiba PR 80310-420 Tel: (41) 244-0116 "E-mail":nigus@uol.com.br

 

Resumo

*Fundamentos:* Auto-anticorpos, como fator reumatóide (FR) e fator antinuclear (FAN), são encontrados em pacientes com mal de Hansen (MH) em proporções variáveis, dependendo da população em estudo. As manifestações articulares também são bastante comuns nesses pacientes, constituindo-se na terceira queixa em ordem de freqüência. *Objetivos:* Avaliar a incidência de FR e FAN em pacientes portadores de MH da população local (sul do Brasil) e estudar sua possível correlação com as queixas articulares. *Material e Métodos:* Estudados 120 portadores de MH (77 - forma lepromatosa; 43 -forma tuberculóide) e 60 indivíduos hígidos para controle. Submeteu-se a população estudada a um questionário e exame físico referentes a queixas articulares (artralgias, artrites, tendinites e eritema nodoso), à pesquisa do FR (por nefelometria) e do FAN (por imunofluorescência indireta). *Resultados:* No que se refere ao FAN, 55,8% dos pacientes com MH e 16,7% dos controles possuíam FAN positivo (p<0,0001). No que concerne ao FR, 35% dos portadores de MH e 10% dos indivíduos controles possuíam um teste positivo (p<0,0007). Em relação a queixas articulares, 68,3% dos pacientes de MH eram portadores de alterações articulares do tipo inflamatório, contra 1,7% dos controles. Dos portadores de MH, 15,8% tinham queixas articulares e eram positivos para ambos os auto-anticorpos, contra 5,8%, também positivos para os dois anticorpos, porém, sem essas queixas, dos controles. *Conclusões:* A população portadora de MH no sul do Brasil possui auto-anticorpos em taxas significativamente mais altas do que a da população normal, mas a presença de tais auto-anticorpos não se correlaciona com a presença de queixas articulares.

Palavras-chave: HANSENÍASE., AUTO-ANTICORPOS, FATOR REUMATÓIDE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações