Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

23

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

23

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 91 Número 5 S1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Retalho retroauricular estagiado para reconstrução de hélice após cirurgia micrográfica de Mohs*

Staged retroauricular flap for helical reconstruction after Mohs micrographic surgery*


Felipe Bochnia Cerci

Hospital Santa Casa de Curitiba – Curitiba (PR), Brasil

Recebido em 10.05.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 09.09.2015
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Cerci FB. Retalho retroauricular estagiado para reconstrução de hélice após cirurgia micrográfica de Mohs. An Bras Dermatol. 2016;91(5 Supl 1):S144-7.

Correspondência:

Felipe Bochnia Cerci
Praça Rui Barbosa, 245 Centro
80010-030 - Curitiba - PR Brasil
E-mail: cercihc@hotmail.com

 

Resumo

O retalho retroauricular estagiado é uma ótima opção para defeitos de espessura total da hélice e anti-hélice. Sua área doadora consiste na região posterior da orelha, sulco retroauricular e mastoide. As vantagens deste retalho incluem cicatriz escondida da área doadora, semelhança da pele doadora e rica vascularização. Apresenta-se um paciente com tumor de colisão na hélice esquerda submetido à cirurgia micrográfica de Mohs, com defeito resultante reparado com retalho retroauricular estagiado. Esta técnica é eficiente para restauração de defeitos de espessura total da hélice, com pequena morbidade operatória. Ótimos resultados funcionais e estéticos podem ser obtidos, restaurando formato e tamanho naturais da orelha.

Palavras-chave: Cirurgia de Mohs; Neoplasias cutâneas; Neoplasias da orelha; Retalhos cirúrgicos

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações