Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

19

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

19

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 91 Número 5 S1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Rosácea fulminante: apresentação clínica incomum de rosácea*

Rosacea fulminans: unusual clinical presentation of rosacea*


Jessica Castiel Coutinho1; Danielle Cristine Westphal2; Laís Cruz Lobato1; Antônio Pedro Mendes Schettini3; Mônica Santos3,4

1. Dermatologista – Manaus (AM), Brasil
2. Secretaria Municipal de Saúde do Amazonas – Manaus (AM), Brasil
3. Fundação Alfredo da Matta (Fuam) – Manaus (AM), Brasil
4. Universidade do Estado do Amazonas (UEA) – Manaus (AM), Brasil

Recebido em 17.07.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 21.09.2015
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Coutinho JC, Westphal, DC, Lobato LC, Schettini APM, Santos M. Rosácea fulminante: apresentação clínica incomum de rosácea. An Bras Dermatol. 2016;91(5 Supl 1):S151-3.

Correspondência:

Jessica Castiel Coutinho
R. Codajás, 24 Cachoeirinha
69065-130 – Manaus - AM Brasil
E-mail: castielzinh@hotmail.com

 

Resumo

A rosácea fulminante, ou pioderma facial, é uma doença cutânea rara, que predomina em pacientes do sexo feminino entre 15-46 anos, caracterizada pelo surgimento súbito de pápulo-pústulas, cistos e nódulos conglomerados, dolorosos, com eritema vermelho-cianótico e predomínio na região centrofacial. A etiologia permanece incerta, embora fatores hormonais, imunológicos e vasculares sejam descritos. O reconhecimento e tratamento devem ser instituídos de maneira precoce para minimizar cicatrizes inestéticas. Os autores relatam o caso de uma paciente do sexo feminino de 33 anos, que foi tratada com doxiciclina em doses tradicionais, com boa resposta terapêutica e regressão do quadro em dois meses.

Palavras-chave: Rosaceae; Sintomas clínicos; Terapêutica

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações