Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

10

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

10

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 2




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Perfil epidemiológico dos casos de tinha do couro cabeludo na cidade de São Paulo*

Epidemiological profile of tinea capitis in São Paulo City*


John Verrinder Veasey1; Barbara Arruda Fraletti Miguel1; Silvia Assumpção Soutto Mayor1; Clarisse Zaitz1; Laura Hitomi Muramatu2; Juliane Agarinakamura Serrano3

1. Clínica de Dermatologia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil
2. Laboratório de Micologia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil
3. Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) - São Paulo (SP), Brasil

Recebido em 03.12.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 08.05.2016
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Veasey JV, Miguel BAF, Mayor SAS, Zaitz C, Muramatu LH, Serrano JA. Perfil epidemiológico dos casos de tinha do couro cabeludo na cidade de São Paulo. An Bras Dermatol. 2017;92(2):288-9.

Correspondência:

John Verrinder Veasey
Rua Doutor Cesário Mota Júnior, 112 Edifício Conde de Lara - 5º andar Vila Buarque
01221-020 São Paulo, SP Brasil
E-mail: johnveasey@uol.com.br

 

Resumo

Tinea capitis é a micose mais frequente em crianças. A identificação do agente etiológico auxilia na escolha terapêutica. Estudos realizados em outros países indicam uma mudança dos principais agentes etiológicos nessas regiões. Realizou-se um estudo retrospectivo em serviço público terciário de São Paulo, analisando os agentes isolados dos pacientes atendidos com quadro de tinea capitis no período de março de 2013 a maio de 2015. Microsporum canis se mantém como o principal agente (56,6%), seguido do Trichophyton tonsurans (36,6%). Verificou-se que não houve alternância de principal agente etiológico das tineas capitis em São Paulo, apesar de movimentos migratórios recentes na cidade.

Palavras-chave: Tinha do couro cabeludo; Trichophyton; Microsporum; Epidemiologia; Micoses

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações