Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

36

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

36

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Avaliação da resposta ao tratamento com transplante autólogo de suspensão celular de melanócitos/queratinócitos não cultivados em pacientes com vitiligo estável*

Evaluation of treatment response to autologous transplantation of noncultured melanocyte/keratinocyte cell suspension in patients with stable vitiligo*


Mariana Gontijo Ramos1,3; Daniel Gontijo Ramos2,3; Camila Gontijo Ramos3

1. Faculdade de Ciências Humanas, Sociais e da Saúde da Universidade Fumec – Belo Horizonte (MG), Brasil
2. Clínica Dermatológica da Santa Casa de Belo Horizonte – Belo Horizonte (MG), Brasil
3. Clínica privada – Belo Horizonte (MG), Brasil

Recebido em 15.02.2016
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 16.05.2016
Suporte Financeiro: Fapemig
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Ramos MG, Ramos DG, Ramos CG. Avaliação da resposta ao tratamento com transplante autólogo de suspensão celular de melanócitos/queratinócitos não cultivados em pacientes com vitiligo estável. An Bras Dermatol. 2017;92(3):316-22.

Correspondência:

Mariana Gontijo Ramos
Av. do Contorno, 4747 - Sala 709 - Serra
30110-001 - Belo Horizonte - MG Brazil
E-mail: ramosbh@yahoo.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: O vitiligo é caracterizado pelo aparecimento de máculas acrômicas causadas pela destruição dos melanócitos. O tratamento cirúrgico com suspensão de melanócitos tem sido utilizado para casos de vitiligo estável.
OBJETIVOS: Avaliar a resposta ao tratamento com transplante autólogo de suspensão de células epidérmicas não cultivadas em pacientes com vitiligo estável.
MÉTODOS: Estudo de série de casos em pacientes com vitiligo estável submetidos ao tratamento com transplante de suspensão de células epidérmicas não cultivadas e avaliados pelo menos uma vez, entre 3 e 6 meses após o procedimento, para observação da repigmentação e possíveis efeitos adversos. O tempo máximo de acompanhamento de alguns pacientes foi de 24 meses.
RESULTADOS: Dos 20 pacientes submetidos a um total de 24 procedimentos, 25% apresentaram excelente taxa de repigmentação; 50%, boa repigmentação; 15%, regular; e 10% tiveram resposta ruim. As melhores respostas foram observadas para a região de face e pescoço e as piores, para as extremidades (88% e 33% de respostas satisfatórias, respectivamente). Pacientes com vitiligo segmentar apresentaram melhores taxas de repigmentação (84%) comparados àqueles com vitiligo não segmentar (63%). Como efeitos adversos foram observados hiperpigmentação da área tratada e aparecimento de fenômeno de Koebner na área doadora.
LIMITAÇÕES DO ESTUDO: Algumas limitações do estudo foram número reduzido de pacientes, avaliação subjetiva e não acompanhamento dos resultados por longos períodos.
CONCLUSÃO: O transplante de suspensão de células epidérmicas é eficiente e bem tolerado para o tratamento do vitiligo estável, principalmente em casos de vitiligo segmentar em face e pescoço.

Palavras-chave: Melanócitos; Resultado de tratamento; Transplante autólogo; Vitiligo

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações