Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

28

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

28

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 3




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Ulceração única na face: apresentação atípica de plasmocitose cutânea?*

Solitary ulcerated plaque on the face – an unusual presentation of cutaneous plasmacytosis?*


Ana Marta António1; João Vitor Alves1; Ricardo Coelho2; Elvira Bártolo1

1. Serviço de Dermatovenereologia do Hospital Garcia de Orta – Almada, Portugal
2. Serviço de Dermatologia do Centro Hospitalar Conde de São Januário – Macau, China

Recebido em 10.11.2015
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 21.02.2016
Suporte financeiro: Nenhum
Conflito de interesse: Nenhum
Como citar este artigo: António AM, Alves JV, Coelho R, Bártolo E. Ulceração única na face: apresentação atípica de plasmocitose cutânea? An Bras Dermatol. 2017;92(3):420-2.

Correspondência:

Ana Marta Salvado Ferreira António Daniel
Avenida Torrado da Silva,
2801-951, Almada, Portugal
E-mail: anamartaantonio@gmail.com

 

Resumo

A plasmocitose cutânea e sistêmica primária é uma entidade rara, caracterizada por um infiltrado cutâneo plasmocitário policlonal, frequentemente acompanhado de hipergamaglobulinemia e linfadenomegalias. Descreve-se o caso de uma mulher de 67 anos, com uma placa inflamatória ulcerada, única, localizada na região masseterina esquerda. A biópsia cutânea revelou um infiltrado inflamatório denso perivascular, constituído por plasmócitos maduros, sem atipia ou evidência de restrição de cadeias leves. A investigação diagnóstica excluiu doença sistêmica associada. Foi instituído apenas tratamento tópico com hidrocortisona creme, com resolução da lesão. Estão descritos raros casos de plasmocitose cutânea primária benigna, isolada, sem envolvimento sistêmico, principalmente em crianças. Sendo improvável uma etiologia reativa nesta paciente, esta pode representar uma forma singular de plasmocitose cutânea primária em um adulto.

Palavras-chave: Cadeias leves de imunoglobulina; Hipergamaglobulinemia; Plasmocitoma

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações