Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 4




Voltar ao sumário

 

Investigação

Anticorpos anticitoplasma de neutrófilos em lúpus eritematoso sistêmico de início recente*

Anti-neutrophil cytoplasmic antibodies in new-onset systemic lupus erythematosus*


Fang Su1; Weiguo Xiao2; Pingting Yang2; Qingyan Chen1; Xiaojie Sun1; Tienan Li1

1. Departamento de Dermatologia do Sétimo Hospital Popular de Shenyang – Shenyang, China
2. Departamento de Reumatologia e Imunologia do Primeiro Hospital Afiliado da Universidade Médica da China – Shenyang, China

Recebido em 06.12.2015.
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação no 28.05.2016.
Suporte Financeiro: Nenhum.
Conflito de interesses: Nenhum.
Como citar este artigo: Su F, Xiao W, Yang P, Chen Q, Sun X, Li T. Anticorpos anticitoplasma de neutrófilos em lúpus eritematoso sistêmico de início recente. An Bras Dermtatol. 2017;92(4):466-9

Correspondência:

Fang Su
Dongwei Road 13,heping
District Shenyang
110001 China
Email: sufangfang2007@163.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A relevância clínica dos anticorpos anticitoplasma de neutrófilos em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico de instalação recente, especialmente com doença pulmonar intersticial associada, ainda não foi esclarecida.
OBJETIVOS: Este estudo foi delineado para investigar o papel dos anticorpos anticitoplasma de neutrófilos em casos de lúpus eritematoso sistêmico de início recente.
MÉTODOS: Cento e sete pacientes com lúpus eritematoso sistêmico de aparecimento recente foram incluídos. A presença de anticorpos anticitoplasma de neutrófilos no soro foi avaliada por imunofluorescência indireta bem como por imunoensaio enzimático para proteinase-3 e mieloperoxidase. As características clínicas e os parâmetros laboratoriais dos pacientes também foram registrados. Todos os pacientes foram submetidos à tomografia computadorizada torácica de alta resolução, radiografia de tórax e teste de função pulmonar.
RESULTADOS: Quarenta e cinco pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (45/107, 42%) foram soropositivos para anticorpos anticitoplasma de neutrófilos. Em comparação com pacientes negativos para anticorpos anticitoplasma de neutrófilos, os pacientes positivos tinham presença significativamente maior de acometimento renal, anemia e fenômeno de Raynaud bem como diminuição do nível sérico de complemento 3/ complemento 4 e velocidade de hemossedimentação elevada. Adicionalmente, houve uma correlação positiva entre o nível sérico de anticorpos anticitoplasma de neutrófilos e a atividade do lúpus eritematoso sistêmico. Além disso, a prevalência de doença pulmonar intersticial nos pacientes com anticorpos antineutrófilos (25/45, 55,6%) foi obviamente maior do quenos pacientes sem anticorpos anticitoplasma de neutrófilos (15/62, 24,2%).
LIMITAÇÕES DO ESTUDO: O tamanho da amostra era limitado e os critérios para seleção de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico de início recente poderiam produzir viés.
CONCLUSÕES: O nível de anticorpos anticitoplasma de neutrófilos em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico de início recente correlaciona-se positivamente com a atividade da doença e a prevalência de doença pulmonar intersticial.

Palavras-chave: Anticorpos anti-citoplasma de neutrófilos; Lúpus eritematoso sistêmico; Doenças pulmonares intersticiais

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações