Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

3

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

3

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 4




Voltar ao sumário

 

Investigação

Cromoblastomicose: modificações tissulares durante o tratamento com itraconazol*

Chromoblastomycosis: tissue modifications during itraconazole treatment*


Kátia Sheylla Malta Purim1; Murilo Calvo Peretti2; José Fillus Neto3; Marcia Olandoski4

1. Disciplina de Dermatologia do Curso de Medicina da Universidade Positivo (UP) – Curitiba (PR), Brasil
2. Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) – Curitiba (PR), Brasil
3. Serviço de Dermatologia do Hospital Evangélico de Curitiba - Faculdade Evangélica do Paraná – Curitiba (PR), Brasil
4. Disciplina de Bioestatística da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) – Curitiba (PR), Brasil

Recebido em 04.12.2015.
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 28.05.2016.
Suporte Financeiro: Nenhum.
Conflito de Interesses: Nenhum.
Como citar este artigo: Purim KSM, Peretti MC, Fillus Neto J, Olandoski M. Cromoblastomicose: modificações tissulares durante o tratamento com itraconazol. An Bras Dermatol. 2017; 92(4):479-84

Correspondência:

Kátia Sheylla Malta Purim
Serviço de Dermatologia
R. General Carneiro, 181- Centro
80060-900 - Curitiba, PR Brazil
Email: kspurim@gmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: Alterações histológicas e micológicas durante uso do itraconazol ainda não foram totalmente estabe lecidas na cromoblastomicose.
OBJETIVOS: Avaliar as modificações teciduais em portadores de cromoblastomicose em tratamento com itraconazol.
MÉTODOS: Estudo histológico retrospectivo de 20 casos de cromoblastomicose atendidos em hospital universitário no sul do país, durante tratamento com 200-400mg/dia de itraconazol. Os pacientes foram submetidos a avaliações periódicas a cada quatro meses durante três anos. A coloração de hematoxilina-eosina foi usada para verificação de modificações epidérmicas, infiltrado inflamatório e fibrose, e a de Fontana-Masson, para análise dos parasitas.
RESULTADOS: A coloração Fontana-Masson foi superior à da hematoxilina-eosina na demonstração de fungos na epiderme (diferença média=0,14, p<0,05). As respostas tissulares mais distintas da micose foram registradas na derme. Durante o tratamento, ocorreram atrofia da epiderme, diminuição ou desaparecimento do infiltrado granulomatoso, aumento da fibrose e modificações quantitativas/morfológicas nos parasitas.
LIMITAÇÕES DO ESTUDO: Não foi possível localizar os pacientes e avaliar sua condição cutânea atual.
CONCLUSÕES: As alterações teciduais e parasitárias verificadas neste estudo podem refletir a dinâmica parasita-hospedeiro sob a ação do itraconazol.

Palavras-chave: Cromoblastomicose; Histologia; Itraconazol; Micologia; Patologia

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações