Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 4




Voltar ao sumário

 

Dermatopatologia

Aspectos ultraestruturais do pseudoxantoma elástico*

Ultrastructural aspects of pseudoxanthoma elasticum*


Hiram Larangeira de Almeida Jr.1,2; Mariana Geber de Almeida2; Valéria Magalhães Jorge2,3; Luciana Boff de Abreu4

1. Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil
2. Programa de Pós-graduação em Saúde e Comportamento, Universidade Católica de Pelotas (UCPel) – Pelotas (RS), Brasil
3. Departamento de Patologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil
4. Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) – Porto Alegre (RS), Brasil

Recebido em 26.04.2016
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 28.08.2016
Suporte Financeiro: Nenhum..
Conflito de Interesses: Nenhum.
Como citar este artigo: de Almeida Jr HL, de Almeida MG, Jorge VM, de Abreu LB. Aspectos ultraestruturais do pseudoxantoma elástico. An Bras Dermtatol. 2017;92(4):528-31

Correspondência:

Hiram Larangeira de Almeida JR
Laboratório de Microscopia Eletrônica
Rua Gonçalves Chaves, 457
96015-560 Pelotas, RS. Brazil
E-mail: hiramalmeidajr@hotmail.com

 

Resumo

Relatamos os achados ultraestruturais de uma paciente negra de 72 anos, com pápulas amareladas na região cervical. Não havia comorbidades associadas, o exame oftalmológico, o eletrocardiograma e o ecocardiograma foram normais. A coloração com hematoxilina-eosina da pele afetada mostrou intensa alteração na derme média, com material eosinofílico irregular, havendo perda da distribuição paralela dos feixes de colágeno. A coloração com orceína mostrou que as fibras elásticas perderam sua configuração linear, com fragmentação e aglomeração. Por vezes, estruturas quadradas foram vistas. A microscopia eletrônica de transmissão demonstrou fibras elásticas aberrantes, com contorno irregular e estrutura interna irregular. Pequenas fibras elásticas também foram observadas. As fibras colágenas demonstraram estrutura normal, com distribuição desorganizada. À microscopia eletrônica de varredura, observou-se desorganização das fibras colágenas e depósitos pétreos medindo ao redor de cinco micra, associados com depósitos maiores com 10-16µm. Grandes aumentos demostraram que algumas das estruturas menores tinham contorno poliédrico ou quadrado.

Palavras-chave: Microscopia eletrônica de transmissão; Microscopia eletrônica de varredura; Tecido elástico

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações