Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 4




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Tricotilomania: boa resposta ao tratamento com N-acetilcisteína*

Trichotillomania: a good response to treatment with N-acetylcysteine*


Livia Ariane Lopes Barroso; Flavia Sternberg; Maria Natalia Inacio de Fraia e Souza; Gisele Jacobino de Barros Nunes

Ambulatório de tricologia do Departamento de Cosmiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – São Paulo (SP), Brasil

Recebido em 28.11.2015
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 18.02.2016
Suporte Financeiro: Nenhum.
Conflito de Interesses: Nenhum.
Como citar este artigo: Barroso LAL, Sternberg F, Souza MNIF, Nunes GJB. Tricotilomania: boa resposta ao tratamento com N-acetilcisteína. An Bras Dermatol. 2017;92(4):538-40

Correspondência:

Livia Ariane Lopes Barroso
Rua Estado de Israel, 192 Vila Clementino
04022-000 São Paulo, SP, Brazil
E-mail: livia_lopes2002@yahoo.com.br

 

Resumo

Tricotilomania é considerada um distúrbio do comportamento caracterizado pelo hábito recorrente de puxar os cabelos, resultando em alopecia secundária. Afeta 1% da população adulta, e 2% a 4,4% dos pacientes psiquiátricos preenchem critérios diagnósticos. Pode ocorrer em qualquer idade, porém é mais prevalente nos adolescentes e no sexo feminino. O acometimento na infância não é incomum e tende a ter um curso clínico mais favorável. O couro cabeludo, as sobrancelhas e os cílios são os locais mais acometidos. Os agentes moduladores do glutamato, como a N-acetilcisteína, têm-se mostrado um tratamento promissor. A N-acetilcisteína atua por meio da redução do estresse oxidativo e da normalização da transmissão glutaminérgica. Neste trabalho, relatamos um caso de tricotilomania com excelente resposta ao uso da N-acetilcisteína.

Palavras-chave: Acetilcisteina; Alopecia; glutamatos; Tricotilomania

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações