Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Análise epidemiológica de prevalência da hiperidrose*

Epidemiologic analysis of prevalence of the hyperhidrosis*


Fernanda Alvarenga Estevan1; Marina Borri Wolosker1; Nelson Wolosker2,3; Pedro Puech-Leão2

1. Curso de Graduação na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) – São Paulo (SP), Brasil
2. Departamento de Cirurgia -Divisão de Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) – São Paulo (SP), Brasil
3. Departamento de Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital Israelita Albert Einstein – São Paulo (SP), Brasil

Recebido em 06.01.2016
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 10.07.2016
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Estevan FA, Wolosker MB, Wolosker N, Puech-Leão P. Análise epidemiológica de prevalência da hiperidrose. An Bras Dermatol. 2017;92(5):630-4.

Correspondência:

Fernanda Alvarenga Estevan
Avenida Doutor Enéas de Carvalho Aguiar, 255 Cerqueira César
05403-000 São Paulo, SP. Brazil
Avenida Albert Einstein, 627/701 Morumbi
05652-900 São Paulo, SP. Brasil
Email: fernanda.aestevan@gmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: O presente estudo visa abordar, de forma inédita, no Brasil, a prevalência das diferentes manifestações de hiperidrose em indivíduos que buscaram tratamento em ambulatório especializado em hiperidrose no Estado de São Paulo.
OBJETIVOS: Diferentemente de trabalhos prévios, esta pesquisa estudou as diferentes combinações dos locais de sudorese, não somente se restringindo à queixa principal manifestada pelo paciente, mas levando-se em consideração as outras queixas secundárias relatadas por eles.
MÉTODOS: O estudo consistiu em uma abordagem retrospectiva com mais de 1.200 pacientes na qual foram mapeados: as combinações de locais de sudorese, a idade de aparecimento da doença, a média e espectro de idade, índice de massa corpórea e o gênero dos pacientes. Os pacientes foram categorizados em quatro grupos principais, de acordo com seu local de sudorese mais excessiva - palmar, plantar, axilar e facial.
RESULTADOS: Verificou-se que a hiperidrose se manifesta mais frequentemente em mais de um local, sendo a queixa principal que mais acomete os pacientes a palmar, que aparece já na adolescência dos indivíduos. Quando há dois locais de sudorese, a combinação mais frequente é a palmo-plantar, e, quando há três locais de sudorese, as combinações mais frequentes são: palmo-planto-axilar e axilo-palmo-plantar.
LIMITAÇÕES DO ESTUDO: A presente pesquisa tem casuística limitada a um único serviço de atendimento aos pacientes com hiperidrose.
CONCLUSÃO: É preciso ter em mente que a doença se manifesta majoritariamente em mais de um local, com intensidades diferentes em cada um deles e gerando um comprometimento importante da qualidade de vida dos pacientes.

Palavras-chave: Hiperidrose; Epidemiologia; Sudorese; Prevalência

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações