Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

36

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

36

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 5 S1




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Poliarterite nodosa cutânea causando deformidade e pigmentação refratárias da pele como sequelas*

Cutaneous polyarteritis nodosa causing refractory skin deformation and pigmentation as sequel*


Karin Okada; Rina Nakamori; Hitoshi Mizutani; Keiichi Yamanaka

Departamento de Dermatologia da Mie University Graduate School of Medicine – Tsu, Japão

Trabalho submetido em 15.02.2016
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 19.06.2016
Suporte financeiro: nenhum
Conflitos de interesses: nenhum
Como citar este artigo: Okada K, Nakamori R, Mizutani H, Yamanaka K. Poliarterite nodosa cutânea causando deformidade e pigmentação refratárias da pele como sequelas. An Bras Dermatol. 2017;92(5 Supl 1):126-8.

Correspondência:

Keiichi Yamanaka
2-174 Edobashi, Tsu
Mie 514-8507, Japan
E-mail: yamake@clin.medic.mie-u.ac.jp

 

Resumo

Uma mulher de 39 anos de idade se apresentou com lesões de livedo reticular exuberantes e dolorosas, disseminadas nas suas extremidades superiores e inferiores. Na histopatologia, foi observada vasculite necrotizante com infiltração celular nas artérias de pequeno a médio calibre da derme profunda e do tecido subcutâneo, sugerindo poliarterite nodosa. Os níveis séricos dos marcadores inflamatórios normalizaram com o uso de aspirina (100mg/dia) e prednisolona (10mg/dia) em dois meses, e não houve mais envolvimento cutâneo ou de outros órgãos ao longo de 18 meses de acompanhamento. No entanto, cicatrizes deprimidas e pigmentação permaneceram após dois anos de tratamento. Isso reforça a importância do tratamento precoce e agressivo da poliarterite nodosa cutânea e do controle da atividade da doença, a fim de prevenir sequelas desagradáveis.

Palavras-chave: Pigmentação; Poliarterite nodosa; Vasculite

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações