Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

30

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

30

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 92 Número 5 S1




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Melanose cutânea difusa: rara complicação do melanoma metastático*

Diffuse cutaneous melanosis: rare complication of metastatic melanoma*


Ana Cristina Vervloet do Amaral1; Lucia Martins Diniz2; Elton Almeida Lucas3; Rafaela Lorenzon de Aragão Capeli4

1. Clínica privada – Vitória (ES), Brasil
2. Serviço de Dermatologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) – Vitória (ES), Brasil
3. Departamento de Patologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) – Vitória (ES), Brasil
4. Clínica privada – Brasília (DF), Brasil

Trabalho submetido em 31.05.2016
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 16.10.2016
Suporte financeiro: Nenhum
Conflitos de interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Amaral ACV, Diniz LM, Lucas EA, Capeli RLA. Melanose cutânea difusa: rara complicação do melanoma metastático. An Bras Dermatol. 2017;92(5 Supl 1):89-91.

Correspondência:

Ana Cristina Vervloet do Amaral
Avenida Marechal Campos, 1355 Santos Dumont
29041-295 - Vitória, ES Brasil
E-mail: anavervloet@hotmail.com

 

Resumo

A melanose cutânea difusa é uma rara complicação do melanoma metastático, havendo poucos casos descritos na literatura, e se relaciona a pior prognóstico. Sua patogênese ainda não está totalmente elucidada, embora estudos sugiram alguns mecanismos para o seu aparecimento. Clinicamente se apresenta como coloração azul-acinzentada da pele e das mucosas, de progressão cefalocaudal e constantemente associada à melanúria. O exame histopatológico da pele e das mucosas revela apenas presença de melanófagos na derme, principalmente perivasculares, além de pigmento melânico livre no interstício. Relata-se o caso de um homem de 68 anos com melanoma metastático, hipercromia difusa da pele e melanúria.

Palavras-chave: Melanose; Melanoma; Síndromes paraneoplásicas

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações