Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

23

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

23

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 93 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Fator de inibição da migração de macrófagos incriminado como agente no vitiligo*

Macrophage migration inhibitory factor as an incriminating agent in vitiligo*


Azza Gaber Antar Farag1; Mostafa Ahmed Hammam1; Mona SalahEldeen Habib2; Nada Farag Elnaidany3; Mona Eaid Kamh1

1. Departamento de Dermatologia, Andrologia e DSTs da Faculty of Medicine - Menoufia University – El Menoufia, Egito
2. Departamento de Bioquímica Médica da Faculty of Medicine - Menoufia University – El Menoufia, Egito
3. Departamento de Farmácia Clínica da Faculty of Pharmacy - MSA University – 6th October City, Egito

Trabalho submetido em 26.05.2016
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 02.03.2017
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Farag AGA, Hammam MA, Habib MS, Elnaidany NF, Kamh ME. Macrophage migration inhibitory factor as an incriminating agent in vitiligo.An Bras Dermatol. 2018;93(2):192-7.

Correspondência:

Azza Gaber Antar Farag
E-mail: azzagaber92@yahoo.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: O vitiligo é uma doença de pele autoimune, na qual a perda de melanócitos é atribuída principalmente a mecanismos imunes defeituosos e, ultimamente, tem havido mais ênfase em mediadores autoinflamatórios. Entre estes, encontra-se o fator de inibição da migração de macrófagos, que está envolvido em muitas doenças de pele autoimunes, embora pouco seja conhecido sobre a contribuição deste fator para o vitiligo vulgar.
OBJETIVO: Determinar o papel hipotético do fator de inibição da migração (MIF) no vitiligo por meio da estimativa dos níveis de fator de inibição da migração e das concentrações de mRNA do fator de inibição da migração (MIF mRNA) em pacientes com vitiligo e compará-los aos controles. Também objetivamos avaliar se há uma relação entre os valores séricos do fator de inibição da migração e/ou mRNA do fator de inibição da migração com a duração da doença, tipo clínico e gravidade em pacientes com vitiligo.
MÉTODOS: A avaliação do nível sérico do fator de inibição da migração e da expressão do mRNA do fator de inibição da migração por meio de ELISA e PCR em tempo real, respectivamente, foi realizada em 50 pacientes com diferentes graus de gravidade de vitiligo, que foram comparados a 15 indivíduos saudáveis pareados por idade e sexo como controles.
RESULTADOS: Houve um aumento altamente significativo nos níveis séricos do fator de inibição da migração e do mRNA do fator de inibição da migração nos casos de vitiligo quando comparados aos controles (p<0,001). Houve uma correlação positiva significativa tanto entre as concentrações séricas do fator de inibição da migração e do mRNA do fator de inibição da migração em pacientes com vitiligo quanto em cada um deles com a duração e gravidade do vitiligo. Além disso, os pacientes com vitiligo generalizado possuem níveis significativamente mais elevados do fator de inibição da migração no soro e de mRNA do que os indivíduos controle.
LIMITAÇÕES DO ESTUDO: Pequeno número de indivíduos investigados.
CONCLUSÕES: O fator de inibição da migração pode ter um papel ativo no desenvolvimento do vitiligo e pode ser um indicador útil da gravidade da doença. Consequentemente, o fator de inibição da migração pode ser um novo alvo de tratamento para os pacientes com vitiligo.

Palavras-chave: Fatores inibidores da migração de macrófagos; RNA mensageiro; Vitiligo

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações