Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 93 Número 2




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Leiomiossarcoma cutâneo na face*

Cutaneous leiomyosarcoma on the face*


Nathalia Dias Negrão Murback1; Luiz C. Takita2; Bruna Corrêa de Castro1; Gunter Hans Filho3,4

1. Ambulatório de Dermatologia do Hospital São Julião – Campo Grande (MS), Brasil
2. Disciplina de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Famed-UFMS) – Campo Grande (MS), Brasil
3. Disciplina de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Famed-UFMS) – Campo Grande (MS), Brasil
4. Serviço de Residência Médica em Dermatologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – Campo Grande (MS), Brasil

Trabalho submetido em 29.11.2016
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 13.04.2017
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Murback NDN, Takita LC, Castro BC, Hans-Filho G. Cutaneous leiomyosarcoma on the face. An Bras Dermatol. 2018;93(2):262-4.

Correspondência:

Nathalia Dias Negrão Murback
E-mail: nmurback@yahoo.com.br

 

Resumo

Leiomiossarcoma é tumor raro na pele, mais comum em homens brancos e da quinta à oitava década de vida. Tumores primários são classificados em dérmicos e subcutâneos, os quais diferem quanto à clínica e ao prognóstico. Acometem qualquer localização corpórea, porém são raros na face. Paciente do sexo feminino, de 54 anos foi admitida com nódulo exofítico de 5cm, com oito meses de evolução, localizado na região malar direita, em local de radiodermite crônica prévia. O histopatológico demonstrou neoplasia de células fusiformes com positividade para actina de músculo liso na imuno-histoquímica. Leiomiossarcomas de pele são raros na face e podem ocorrer em locais de radiação prévia. imuno-histoquímica é mandatória para diagnóstico preciso. Sua semelhança com outros tumores pode retardar o diagnóstico, com consequente expansão tumoral.

Palavras-chave: Face; Leiomiossarcoma; Neoplasias; Neoplasias de tecidos moles; Procedimentos cirúrgicos eletivos; Procedimentos cirúrgicos; Radioterapia

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações