Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

38

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

38

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 67 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Determinantes sobre o tratamento ambulatorial irregular da hanseníase em um

Determinant about irregularity on ambulatorial treatment of leprosy in an University Hospital


OMAR LUPI DA ROSA SANTOS1, JOÃO PAULO CANTALICE FILHO1, JANE DE ARAÚJO OLIVEIRA2, ADEMIR DE ASSIS FIGUEIREDO3

1Médico; Bolsista de Aperfeiçoamento B pelo CNPq
2Professora Assistente - Instituto de Medicina Social - Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
3Professor Assistente - Faculdade de Ciências Médicas - UERJ

Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) da UERJ sob a orientação do Professor Jarbas A. Porto.

Correspondência:
Serviço de Dermatologia - HUPE-UERJ Av. 28 de Setembro, 87 - 2º andar 20551-030 - Rio de Janeiro - RJ

 

Resumo

São apresentados os resultados de estudo retrospectivo de 305 hansenianos no período de 1985 a 1990. Verificou-se a taxa global de irregularidade de tratamento no ambulatório (35,5%) e identificou-se o perfil sócio-epidemiológico desta população. Concluiu-se que forma clínica, acessibilidade e ocupação principal parecem não influenciar na taxa de não-adesão à terapêutica, enquanto as variáveis etnia e grau de escolaridade sugerem marcante associação com o fenômeno estudado.

Palavras-chave: DADOS EPIDEMIOLÓGICOS, ABANDONO DE TRATAMENTO, HANSENÍASE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações