Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

23

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

23

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 93 Número 2




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Lobomicose: desafio terapêutico*

Lobomycosis: a therapeutic challenge*


Marcelo Grossi Araújo1,2; Nathalie Silva Cirilo3; Soraya Neves Marques Barbosa dos Santos2; Claudemir Roberto Aguilar1,2; Antonio Carlos Martins Guedes1<

1. Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – Belo Horizonte (MG), Brasil
2. Clínica de Especialidades Médicas, Cooperativa de Trabalho dos Médicos do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – Belo Horizonte (MG), Brasil
3. Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG) – Belo Horizonte (MG), Brasil

Trabalho submetido em 18.02.2017
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 23.06.2017
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Araújo MG, Cirilo NS, Aguilar CR, Santos SNMB, Guedes ACM. Lobomycosis: a therapeutic challenge. An Bras Dermatol. 2018;93(2):279-81.

Correspondência:

Marcelo Grossi Araújo
E-mail: mgrossi@medicina.ufmg.br

 

Resumo

A lobomicose, ou lacaziose, é infecção crônica e granulomatosa causada pelo fungo Lacazia loboi. A maioria dos casos encontra-se restrita a regiões tropicais. A transmissão ocorre por meio da inoculação traumática na pele, principalmente em áreas expostas. Caracteriza-se especialmente por nódulos de aspecto queloideano. Há poucas centenas de casos descritos. Os diagnósticos diferenciais incluem várias dermatoses, e o tratamento é difícil. O caso relatado, inicialmente diagnosticado como queloide, mostrou-se refratário ao tratamento cirúrgico isolado. Posteriormente, foi abordado com cirurgia ampla, crioterapia a cada três meses e associação de itraconazol com clofazimina por dois anos. Não houve sinais de atividade clínica e histopatológica no seguimento.

Palavras-chave: Criocirurgia; Lacazia; Lobomicose; Micoses; Queloide

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações