Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 68 Número 1




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Envelhecimento cutâneo extrínseco. Tratamento com tretinoína

Topical tretinoin for treatment of photoaged skin


YADYRA YASEIDA DIAZ REINOSO1, DAVID RUBEM AZULAY2, IGNEZ REGINA DOS SANTOS M. MENDONÇA3, HELOISA ARAUJO HOFMEISTER4, RUBEM DAVID AZULAY5

1Médica pós-graduanda do Serviço de Dermatologia da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro.
2Chefe do Setor de Dermatopatologia do Pavilhão São Miguel. Professor Assistente da UFRJ e da FTESM
3Chefe de clínica do Instituto de Dermatologia do Pavilhão São Miguel. Professora Assistente da PUC - RJ. Professora Auxiliar da FTESM. Professora Auxiliar da Fundação Educacional Severino Sombra.
4Chefe do Setor de Cosmetologia Dermatológica do Pavilhão São MIguel. Professora Assistente da PUC - RJ e Professora Auxiliar da FTESM.
5Chefe do Serviço de Dermatologia do Pavilhão São Miguel da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Titular da FTESM

*Trabalho realizado no Setor de Cosmetologia Dermatológica e Dermatopatologia do Instituto de Dermatologia. Pavilhão São Miguel Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro.*

Correspondência:
Pavilhão São Miguel Rua Santa Luzia 206 - Centro 20020-20 - Rio de Janeiro -RJ

 

Resumo

Durante 16 semanas de estudo com tretinoína tópica (ácido retinóico) para o tratamento do fotoenvelhecimento. 25 pacientes do sexo feminino (idade média. 50 anos) com sinais de fotodegeneração de leves a intensos foram observadas. As pacientes aplicaram na face a medicação em concentrações crescentes diariamente durante quatro meses: 0.025% durante o primeiro. 0.05% no segundo 0.07% no terceiro e 0.1% no quarto mês. O estudo incluiu avaliação clínica, fotográfica e biópsias pré e pós-tratamento. Observou-se melhora significativa dos sinais de fotoenvelhecimento com mínimos efeitos secundários. Rugas finas, hiperpigmentação e aspereza foram os tipos de lesão que mostraram melhor resposta clínica ao tratamento. Alterações na histopatologia incluiram espessamento da epiderme, diminuição dos grânulos de melanina na camada basal e compactação do estrato córneo. Os efeitos secundários ficaram limitados ao efeito retinóide e diminuiíram com o prosseguimento da terapia.

Palavras-chave: FOTOENVELHECIMENTO, ENVELHECIMENTO CUTÂNEO EXTRÍNSECO, TRETINOINA, RETINÓIDES

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações