Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 95 Número 4




Voltar ao sumário

 

Relato de Caso

Angio-histiocitoma de células multinucleadas: um tumor cutâneo incomum*

Multinucleate cell angiohistiocytoma: an uncommon cutaneous tumor*


Anderson Alves Costa1; Glaucia Ferreira Wedy1; Walter Belda Junior1; Paulo Ricardo Criado2

1. Departamento de Dermatologia, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
2. Departamento de Dermatologia, Faculdade de Medicina do ABC, Santo André, SP, Brasil

Recebido em 12 de maio de 2019
Aceito em 14 de outubro de 2019
Disponível na Internet em 13 de junho de 2020
Como citar este artigo: Costa AA, Wedy GF, Belda Junior W, Criado PR. Multinucleate cell angiohistiocytoma: an uncommon cutaneous tumor. An Bras Dermatol. 2020;95:480–3.

Correspondência:

A.A. Costa
E-mail: anderson.medicinausp@gmail.com

 

Resumo

O ângio-histiocitoma de células multinucleadas é uma proliferação vascular rara e de caráter benigno, de etiologia ainda desconhecida. Ocorre principalmente em mulheres de meia-idade e geralmente acomete as regiões acrais; as lesões se apresentam como discretas pápulas violáceas, agrupadas e assintomáticas. Na histopatologia observam-se proliferação e dilatação de pequenos vasos na derme papilar, estroma fibroso com feixes de colágeno espessados, além de células gigantes multinucleadas. Até o momento, há aproximadamente 140 casos descritos na literatura indexada. É apresentado o caso de uma mulher de 62 anos com quadro clínico típico que, tendo em vista o caráter benigno da doença, optou por não fazer tratamento. São enfatizados os aspectos clínicos e imuno-histológicos dessa entidade dermatológica incomum.

Palavras-chave: Células gigantes; Extremidade inferior; Histiocitoma; Neoplasias de tecido vascular; Relatos de caso.

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações