Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

22

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

22

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 95 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Resultado da excisão em estágios com controle histopatológico das margens no carcinoma basocelular de alto risco da região da cabeça*

Outcome of staged excision with pathologic margin control in high-risk basal cell carcinoma of the head region*


Reza Kavoussi1; Hossein Kavoussi1; Ali Ebrahimi1; Nader Salari2; Seyed Hamid Madani3

1. Departamento de Dermatologia, Universidade de Ciências Médicas Kermanshah, Kermanshah, Irã
2. Escola de Saúde, Universidade de Ciências Médicas Kermanshah, Kermanshah, Irã
3. Departamento de Patologia, Universidade de Ciências Médicas Kermanshah, Kermanshah, Irã

Recebido em 18 de outubro de 2019
Aceito em 27 de fevereiro de 2020
Disponível na Internet em 3 de agosto de 2020
Como citar este artigo: Kavoussi R, Kavoussi H, Ebrahimi A, Salari N, Madani AH. Outcome of staged excision with pathologic margin control in high-risk basal cell carcinoma of the head region. An Bras Dermatol. 2020;95:583–8.

Correspondência:

H. Kavoussi
E-mail: hkawosi@kums.ac.ir

 

Resumo

FUNDAMENTOS: O carcinoma basocelular de alto risco corresponde a uma parcela significativa dos carcinomas basocelulares e requer cirurgia micrográfica de Mohs para tratamento definitivo. A excisão em estágios com controle histopatológico das margens é um procedimento simples, acessível e curativo sugerido para o tratamento de carcinoma basocelular de alto risco.
OBJETIVO: Avaliar os resultados da excisão em estágios no carcinoma basocelular de alto risco na região da cabeça.
MÉTODOS: Este estudo intervencionista foi feito em pacientes com carcinoma basocelular de alto risco submetidos a excisão em estágios até que as margens estivessem livres de tumor.
RESULTADOS: Foram recrutados 122 pacientes (47 mulheres e 75 homens) com idade média de 57,66 ± 9,13 anos. Os tipos nasal e nodular foram os mais comuns nas formas clínica e patológica, respectivamente. Além disso, 89,3% dos casos foram curados por excisão em estágios após quatro anos de acompanhamento. Observou-se uma relação significativa entre os resultados do tratamento e lesões recorrentes, multiplicidade de fatores de risco, doença de longa duração e subtipo histopatológico. Houve também uma associação significativa entre o número de excisões cirúrgicas e a multiplicidade de fatores de risco, bem como a recorrência, localização e tamanho do carcinoma basocelular.
LIMITAÇÕES DO ESTUDO: Não foi feita avaliação por ressonância magnética nos casos com suspeita de invasão perineural.
CONCLUSÕES: O carcinoma basocelular de alto risco teve uma alta taxa de cura por excisão em estágios. Pacientes com mais fatores de risco e pacientes com carcinoma basocelular nasal e recorrente demandaram mais excisões em estágios. A falha do tratamento é mais provável em pacientes com mais fatores de risco, lesões de longa data e carcinomas basocelulares recorrentes e de alto risco histopatológico.

Palavras-chave: Cirurgia de Mohs; Neoplasias cutâneas; Patologia.

© 2021 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações