Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 68 Número 1




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Prevalência e tipo de lesões ungueais em escolares de Ribeirão Preto, SP, Brasil

Prevalence and type of ungueal lesions in schoolchildren of Ribeirão Preto, SP, Brazil.


LUIZ MARINO BECHELLI1, PAULO MÚCIO GUIMARÃES PAGNANO2, ANA MARIA UTHIDA TANAKA2, ANA MARIA FERREIRA ROSELINO3, M. R. O. ROCHA SANTOS4, LUIZ CAETANO ZANIN5, ANITA PFRIMER FALCÃO5, R. T. PONGELLUPPI5, NARCISO HADDAD NETTO6

1Professor Catedrático
2Professor Associado
3Professor Assistente
4Médica Assistente
5Médicos Estagiários da Disciplina de Dermatologia de Departamento de Clínica Médica
6Professor Titular, Departamento de Medicina Social. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo

Correspondência:
L. M. Bechelli Rua Prudente de Morais, 761/111 14015 - Ribeirão Preto - SP

 

Resumo

Em sete escolas, selecionadas ao acaso, os autores examinaram 5.150 escolares, entre 7 e 15 anos de idade. A prevalência de lesões ungueais nas mãos foi maior (56,7%) que a dos pés (29,5%). Ela foi significantemente maior no sexo masculino, com tendência a aumentar com a idade, até 14 anos no sexo masculino e até 11 anos no feminino. O tipo e a frequência de lesões ungueais são indicadas em tabelas. As mais comuns nas mãos foram leuconíquia (42,13%), onicofagia (13,57 %) e depressões cupuliformes (1,16%) nos pés, onicoatrofia no 5.0 artelho (9,26%), sulcos transversais (9,14 %), leuconíquia (2%) e hematoma subungueal (1,53%). As alterações foram habitualmente discretas. O _status_ sócio-econômico não pareceu influenciar significantemente a prevalência de lesões ungueais nas diferentes escolas.

Palavras-chave: ESCOLARES, EPIDEMIOLOGIA., UNHAS

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações