Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

26

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

26

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 82 Número 2




Voltar ao sumário

 

Síndrome em Questão

Você conhece esta síndrome?

Do you know this syndrome?


ERICK DANCUART OMAR1, ZILDA NAJJAR PRADO DE OLIVEIRA2, MARIA CECÍLIA DA MATA RIVITTI MACHADO2

1Residente do 3° ano de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo – (USP), São Paulo, (SP), Brasil.
2Médica-assistente do Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo – (USP), São Paulo, (SP), Brasil.

Recebido em 05.02.2007. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 22.03.2007. * Trabalho realizado no Ambulatório de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – (FMUSP), São Paulo, (SP), Brasil. Conflito de interesse declarado: Nenhum. _Como citar este artigo:_ Omar ED, Oliveira ZNP, Rivitti-Machado MCM. Você conhece esta síndrome? Síndrome de Waardenburg (SW) tipo 2B. An Bras Dermatol. 2007;82(2):187-9.

Correspondência:
Maria Cecília Rivitti- Machado Av. Dr. Enéas Carvalho de Aguiar 255, 3º andar, sala 3070 05403 000 São Paulo - SP "E-mail":m3cr@hotmail.com

 

Resumo

Na síndrome de Waardenburg, genodermatose autossômica dominante, distúrbios da pigmentação (hipo ou acromia de pele e cabelos, heterocromia da íris) podem se associar a surdez, distopia do canto interno do olho e, eventualmente, outras malformações de intestino e ósseas. Os autores relatam um caso clínico da síndrome de Waardenburg tipo 2B, apresentam a classificação da doença com os critérios diagnósticos e discutem o diagnóstico diferencial, que deve ser feito com vitiligo, piebaldismo e diferentes formas de albinismo.

Palavras-chave: ALBINISMO, PIEBALDISMO, SÍNDROME DE WAARDENBURG, VITILIGO

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações