Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

12

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

12

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 76 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Fenômeno de Lúcio (eritema necrosante) na gestação: relato de caso e revisão da literatura

Lucio''''s phenomenon (erythema necrotisans) in pregnancy: a case report and an overview


LUCIANA PESSOLI BUFFON1, REINALDO LEAL1, MARIA DO ROSÁRIO VIDIGAL2, THAIS REIS SERVILHA ROMERO GATTI2, MÁRIO CEZAR PIRES3, VITOR MANOEL SILVA DOS REIS4

1Médico Dermatologista. Ex-residente, CHPBG
2Médico Assistente.
3Chefe, Ambulatório de Dermatologia - CHPBG.
4Diretor, Serviço de Dermatologia - CHPBG

Recebido em 03.02.2000. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em26.01.2001. * Trabalho realizado no Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos

Correspondência:
Luciana Pessoli Buffon Rua Joe Collaço, 1034 88035-200- Jardim Santa Mônica Florianópolis- SC-Fone: (0xx48) 234-0980

 

Resumo

A gravidez associa-se a maior freqüência dos estados reacionais relacionados à hanseníase. Um desses estados, denominado fenômeno de Lúcio ou eritema necrosante, é observado entre os portadores de hanseníase avançada sem tratamento e acomete, no Brasil, doentes com a forma virchowiana ou com formas próximas deste pólo. Relata-se o caso de uma gestante de 25 anos, sem diagnóstico prévio de hanseníase, que apresentava áreas extensas de necrose cutânea seca, com contornos irregulares, acometendo face, tronco, membros superiores e inferiores; bem como lesões eritêmato- violáceas com bordas irregulares na face, madarose e rarefação ciliar; não havendo evidências de comprometimento sistêmico nem fetal no momento da admissão. Recebeu poliquimioterapia para hanseníase associada a corticosteróides e a antibióticos, e foi submetida a debridamento cirúrgico das lesões necróticas. Vinha-se mantendo estável até a ocorrência de insuficiência respiratória aguda, seguida por parto prematuro de feto morto e óbito.

Palavras-chave: ERITEMA NECROSANTE, REAÇÃO HANSÊNICA., GESTAÇÃO, FENÔMENO DE LÚCIO, HANSENÍASE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações