Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 76 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Vitiligo na infância: análise terapêutica de 95 casos

Childhood vitiligo: a therapeutic analysis of 95 cases


NURIMAR CONCEIÇÃO FERNANDES1, CLAUDIA MARIA DIOGO CAMÊLO CAVALCANTI2, MAURÍCIO PEREZ3, MARCIA CRISTINA NUNES COSTA LIMA4, LEYLAH KEIJOK SPITZ4, TAÍSSA CANEDO DE MAGALHÃES4

1Professor Adjunto, Faculdade de Medicina, UFRJ.
2Curso de Pós-Graduação em Dermatologia, Faculdade de Medicina, UFRJ.
3Médico epidemiologista, Faculdade de Medicina, UFRJ.
4Residência/Curso de Aperfeiçoamento, Serviço de Dermatologia, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, UFRJ.

Recebido em 02.01.2000. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 25.05.2001. * Trabalho realizado no Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira, Faculdade de Medicina, UFRJ.

Correspondência:
Nurimar C. Fernandes Rua Alexandre de Gusmão, 28/201 CEP: 20520-120 Rio de Janeiro-RJ Tel.:(21) 2568-4158

 

Resumo

FUNDAMENTO – o vitiligo é doença crônica caracterizada por perda da pigmentação e há poucos relatos sobre tratamento na criança. OBJETIVO – avaliar a eficácia do PUVASOL tópico no vitiligo infantil. MATERIAIS E MÉTODOS – análise prospectiva de 95 casos (56 femininos e 39 masculinos) de vitiligo diagnosticados clinicamente nas formas vulgar e segmentar na faixa etária de 2 – 12 anos; foram observados de 1994 a 1999 no Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (UFRJ). Oxsoralen a 0,2% em creme Lanette foi aplicado diariamente nas áreas afetadas com subseqüente exposição solar de 10 minutos por período de 12 a 24 meses. RESULTADOS – 56 (58,9%) femininos e 39 (41%) masculinos foram classificados nas formas clínicas acrofacial (44/46,3%), generalizada (22/23,1%), mucosa (10/10,5%), focal (10/10,5%) e segmentar (9/9,4%). Em 72 casos (75,7%) obteve-se repigmentação parcial; em 13 casos (13,6%), repigmentação total e em 10 casos (10,5%) não foi observada nenhuma resposta. O sexo feminino influenciou as respostas total e parcial no tipo clínico acrofacial (p<0,05). O tempo de tratamento não influenciou a resposta terapêutica (p>0,05). CONCLUSÃO – os resultados terapêuticos foram considerados aceitáveis; o método é seguro, fácil, de baixo custo e pode melhorar a qualidade de vida.

Palavras-chave: TRATAMENTO, PSORALENO, CRIANÇA, VITILIGO

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações