Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 77 Número 1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Botriomicose cutânea: relato de caso

Cutaneous botryomycosis: a case report


NURIMAR CONCEIÇÃO FERNANDES1, JUAN MANUEL PIÑEIRO MACEIRA2, IROCY GUEDES KNACKFUSS3, NILO FERNANDES DA COSTA4

1Professor Adjunto do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro
2Professor Adjunto do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro
3Professor Adjunto do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro
4Curso de Aperfeiçoamento em Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Recebido em 26.01.1999. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 21.08.1999. * Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Correspondência:
Dra. Nurimar C. Fernandes, Rua Alexandre de Gusmão, 28 apto. 201, Tijuca - 20520-120 Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

 

Resumo

É descrito um caso de botriomicose cutânea em um paciente adulto do sexo masculino. O diagnóstico foi baseado nos aspectos clínicos, bacteriológico e histopatológico. O pé esquerdo apresentava aumento de volume e múltiplas fístulas que drenavam pus e sangue sem grãos. Do material de ressecção parcial da lesão, foram isolados em cultura Pseudomonas aeruginosa, Proteus mirabilis e Escherichia coli; ao exame histopatológico, foi encontrado grânulo contendo cocos Gram-positivo. O paciente foi tratado com ciprofloxacina por via intravenosa durante dois meses; após um segundo desbridamento cirúrgico, a ciprofloxacina foi administrada por via oral durante nove meses com recuperação completa.

Palavras-chave: INFECÇÕES POR ESCHERICHIA COLI, INFECÇÕES POR PROTEUS, INFECÇÕES POR PSEUDOMONAS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações