Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 77 Número 2




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Xantogranuloma Necrobiótico: Relato de caso e revisão da literatura

Necrobiotic xanthogranuloma: case report and literature review


ADRIANA CONTI1, SOLANGE PÓVOA1, NEUSA YURIKO SAKAI VALENTE2, CYRO FESTA NETO3, MIRIAN NACAGAMI SOTTO4, JOSÉ ANTONIO SANCHES JUNIOR3, RODRIGO LOPES BARRETO5, CATARINA MACHADO MENDES CAPELA6

1Médica residente, Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.
2Médica-Pesquisadora do Laboratório de Investigação Médica-53, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
3Professor Doutor, Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
4Professora Doutora, Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
5Médico residente, Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo
6Médica residente, Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo

Recebido em 23.04.2001 Aprovado pelo conselho Consultivo e aceito para publicação em 15.02.2002 *Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas Universidade de São Paulo.

Correspondência:
Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255 Instituto Central-3andar sala 3069 Hospital das Clínicas Cerqueira César CEP: 05403-900 São Paulo- SP Brasil "e-mail":oconti@uol.com.br

 

Resumo

O xantogranuloma necrobiótico é forma rara de histiocitose não Langerhans caracterizada por placas enduradas e nódulos de cor eritêmato-amarelada, com distribuição preferencial nas regiões palpebrais, no tronco e nos membros. Habitualmente associa-se à paraproteinemia e pode cursar com acometimento sistêmico. Descreve-se um caso em doente do sexo feminino, de 64 anos, com quadro clínico exclusivamente cutâneo até o momento e boa resposta terapêutica ao clorambucil.

Palavras-chave: HISTIOCITOSE, CLORAMBUCIL, XANTOGRANULOMA JUNVENIL

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações