Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 73 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Paracoccidioidomicose: Estudo e aspectos clínicos no Departamento de Dermatologia da Escola de Medicina de Botucatu (São Paulo-Brasil)

Paracoccidioidomycosis: survey and clinical aspects from the department of dermatology of the school of medicine of Botucatu (São Paulo - Brazil)


SILVIO ALENCAR MARQUES1, NEUZA LIMA DILLON1, ROSANGELA MA. PIRES DE CAMARGO1, MARTHA CASSONI HABERMANN1, JOEL CARLOS LASTÓRIA1, SILVIA REGINA C. SARTORI BARRAVIERA1, ONIVALDO BRETAN2, MARIANGELA ESTHER ALENCAR MARQUES3

1Departamento de Dermatologia e Radioterapia
2Departamento de Oftamologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço.
3Departamento de Patologia

Recebido em 23.3.97. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 27.7.98. * Trabalho realizado na Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP.

Correspondência:
Silvio Alencar Marques Departamento de Dermatologia Faculdade de Medicina Botucatu SP 18618-000

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Paracoccidioidomicose é a micose sistêmica de maior ocorrência no Brasil. O Estado de São Paulo apresenta níveis endêmicos da doença. OBJETIVO - Estudar a casuística da paracoccidioidomicose do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, diagnosticada entre 1976 e 1996. MÉTODOS - Estudo descrito de casos, segundo protocolo específico, incluindo anamnese, exame clpinicodermatológico e laboratorial, tratamento e seguimento dos pacientes. RESULTADOS - Foram observados 315 casos correspondendo a 1,04% dos casos novos dermatológicos neste período: 89,8% do sexo masculino; 61,9% acima dos quarenta anos e 53,7% trabalhores rurais. Queixas clínicas orofaríngeas em 53,6%, cutâneas em 23,8% e de adenomegalias em 10,2%. Setenta pacientes haviam sido previamente tratados em outro serviço. A forma clínica crônica multifocal do adulto predominou com 80,6% seguida pela aguda-subaguda (tipo juvenil) com 15,5%. As localizações principais da doença foram pulmonar em 80%, orofaringolaríngeas em 69,2% e cutâneas em 45,7%. Tratamento: Anfotericina B em 146 pacientes; Cetoconazol - 88, Itraconazol - 56, Sulfamidicos - 146 e Terbinafina em 3. A letalidade foi de 2%. CONCLUSÕES - Devem ser salientados: o grande número de casos indicando a importância regional da enfermidade; o alto percentual de queixas tegumentares e a alta freqüência de casos em recidiva.

Palavras-chave: MICOSE, PARACOCCIDIOIDOMICOSE., EPIDEMIOLOGIA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações