Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

26

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

26

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 82 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Histiocitose de células de Langerhans: relato de caso e revisão da literatura

Langerhans’ cell histiocytosis: case report and review


ADA LOBATO QUATTRINO1, JÚLIO CÉSAR GOMES SILVEIRA2, CÍNTIA DINIZ3, MARIA DO CARMO BRIGGS4, ENÖI VILAR5

1Professora adjunta de Dermatologia da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
2Pós-graduando em dermatologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
3Médica dermatologista, pós-graduada pela Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
4Professora adjunta do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
5Professora adjunta de Anatomia Patológica da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.

Recebido em 18.05.2005. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 30.07.2007. * Trabalho realizado na Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Quattrino AL, Silveira JCG, Diniz C, Briggs MC, Vilar E. Histiocitose de células de Langerhans: relato de caso e revisão da literatura. An Bras Dermatol. 2007;82(4):337-41.

Correspondência:
Ada Lobato Quattrino Praia de Icaraí 371 apt.701 24230 006 - Niterói - RJ "E-mail":aquattrino@ig.com.br

 

Resumo

Os autores descrevem caso de paciente de dois anos de idade, apresentando lesões pápulovesiculosas no tronco que evoluíram para crostas, além de tumorações com necrose na região cervical. Durante a internação, observou-se estrabismo convergente à direita, de instalação súbita. Os exames histopatológico e imuno-histoquímico das lesões cutâneas comprovaram tratar-se de histiocitose de células de Langerhans, sendo o paciente submetido à quimioterapia com melhora importante do quadro.

Palavras-chave: CELÚLAS DE LANGERHANS, HISTIOCITOSE, QUIMIOTERAPIA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações