Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 82 Número 4




Voltar ao sumário

 

Educação médica continuada

Manifestações mucocutâneas da dengue

Mucocutaneous manifestations of dengue


OMAR LUPI DA ROSA SANTOS1, CARLOS GUSTAVO CARNEIRO2, IVO CASTELO BRANCO COELHO3

1Professor dos Cursos de Pós-Graduação em Dermatologia da Universidade Federal do Estado do Rio de janeiro (UNI-RIO), Instituto de Dermatologia Prof. Rubem David Azulay da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e Policlínica Geral do Rio de Janeiro (PGRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
2Residente do Curso de Pós-Graduação do Instituto de Dermatologia Prof. Rubem David Azulay da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
3Professor Adjunto e coordenador do Núcleo de Medicina Tropical Prof. Joaquim E. Alencar da Universidade Federal do Ceará (UFC) – Fortaleza (CE), Brasil.

* Trabalho realizado no Curso de Pós-Graduação em Dermatologia do Instituto de Dermatologia Prof. Rubem David Azulay da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ), Brasil. Conflito de interesse : Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Lupi O, Carneiro CG, Coelho. ICB Manifestações mucocutâneas da dengue. An Bras Dermatol. 2007;82(4):291-305

Correspondência:
Omar Lupi Rua Frei Leandro, 16 apt 501, Lagoa. 22470 210 - Rio de Janeiro - (RJ) Fax: (21) 2521-5812 "E-mail":omarlupi@globo.com

 

Resumo

Dengue é doença viral sistêmica que ocorre de forma epidêmica em áreas tropicais e subtropicais da Ásia, Américas e África. O vírus da dengue pertence ao gênero Flavivirus e à família Flaviviridae (arbovírus do grupo B). Aedes aegypti é o principal vetor e verdadeiro reservatório. A febre na dengue clássica persiste por período de dois a cinco dias com cefaléia intensa, mialgia, artralgia e dor retro-orbital. Alterações cutâneas incluem diversos achados como erupção morbiliforme que pode ser pruriginosa e que gera descamação residual, algumas manifestações hemorrágicas discretas como epistaxe, petéquias e sangramento gengival. Extravasamento capilar de plasma é responsável pela hemoconcentração e trombocitopenia observadas e que caracterizam a dengue hemorrágica. Manifestações cutâneas da dengue hemorrágica incluem lesões hemorrágicas disseminadas como petéquias e equimoses, mas também instabilidade hemodinâmica com pulso filiforme, pressão arterial convergente, extremidades frias, confusão mental e choque.

Palavras-chave: DENGUE HEMORRÁGICA, DENGUE, FEBRES HEMORRÁGICAS VIRAIS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações