Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

13

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

13

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 68 Número 3




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Biópsias em melanoma maligno: Revisão da literatura

Biopsies in malignant melanoma: Literature review


DOUGLAS PUPPIN JUNIOR1, BRIGITTA MARIA CAVEGN2

1Professor Auxiliar de Ensino da Disciplina de Dermatologia da Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia - EMESCAN - Vitória - ES; Pós-Graduação no Serviço de Dermatologia da UFRJ (Chefia do Prof. Antônio Carlos Pereira Jr.), Assistant étranger de la Faculté de Médecine Lariboisière-Saint-Louis (Service du Prof. J. Civatte), Fellowship in Dermatopathology at the New York University Medical Center (Prof. A. B. Ackerman), Assistant de recherche à l''''Höpital Cantonal de Genève (Prof. J-H. Saurat)
2Assistante en Dermatologie - Dermatologische Klinik Universitätsspital Zürich (Prof. G. Burg), Fellowship in Dermatopathology at the New York University Medical Center (Prof. A. B. Ackerman)

Correspondência:
Douglas Puppin Jr. Sulgenekstrasse 38 CH 3007 - BERN Switzerland

 

Resumo

A certeza do diagnóstico clínico de melanoma foi de aproximadamente 64% num clássico trabalho de Kopf, em 1975; ou seja, um erro ocorreu em um terço dos casos de melanoma histologicamente confirmados. Portanto, a importância de uma biópsia seguida de exame histopatológico, antes do ato cirúrgico definitivo, parece ser prioritária, pois os mesmos são, em sua grande maioria, mutilantes. Alguns autores justificam que uma biópsia incisional, isto é, uma biópsia feita com punch numa lesão de melanoma poderia disseminar um contingente de células malignas no derme subjacente e, teoricamente, aumentar o risco de metástases, tanto local como a distância. Com o objetivo de orientar o leitor, nós revisamos a literatura concernente à questão de o quanto uma biópsia incisional em melanoma poderia aumentar o risco de metástases e diminuir a taxa de sobrevida dos pacientes.

Palavras-chave: BIÓPSIA INCISIONAL, MALIGNANT MELANOMA, BIÓPSIA EXCISIONAL, MELANOMA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações