Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

38

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

38

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 69 Número 1




Voltar ao sumário

 

Investigação

Eritrasma interpododigital

Eritrasma interpododigital


DENISE STEINER1, LUIZ CARLOS CUCÉ2, ALBERTO SALEBIAN3

1Dermatologista
2Professor Adjunto, Departamento de Dermatologia - FMUSP
3Micologista, Instituto de Medicina Tropical de São Paulo; Clínica Dermatológica, HC - FMUSP

_Aceito para publicação em 12.11.93._ *Realizado na Clínica Dermatológica do Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina - USP (Chefe do Serviço: Prof. Dr. Evandro A. Rivitti)

Correspondência:
Denise Steiner Rua Curi Nimuendaju, 48 São Paulo SP 05015-010

 

Resumo

FUNDAMENTOS - O eritrasma é uma dermatose causada pela bactéria _Corynebacterium minutissimum_, caracterizada por manchas acastanhadas bem delimitadas em localização intertiginosa. O diagnóstico em geral é confirmado pela fluorescência vermelho coral com lâmpada de Wood, exame pelo Gram e o azul de metileno. O exame direto com hidróxido de potássio é considerado pouco elucidativo. OBJETIVOS - Demonstrar a importância e a sensibilidade do exame micológico direto em casos clássicos de laboratórios como o Gram e azul de metileno. MATERIAL E MÉTODOS - Estudo de trinta doentes com quadro clínico suspeito de eritrasma interpododigital, e 35 doentes com suspeita de outras dermatoses nesta localização. Nos doentes com fluorescência positiva a luz de Wood foi realizado exame micológico, clarificado com hidróxido de potássio a 30% e também exame Gram e o azul de metileno. Em 15 doentes, foi também efetuada a cultura em meio ágar-chocolate-telurito. RESULTADOS - Verificaram positividade em 95% dos casos pesquisados pelo exame direto, 97,5% pelo Gram e 87,5% pelo azul de metileno. As culturas foram positivas em dez casos no meio de ágar-chocolate-telurito e em oito casos no King B. A localização interpododigital foi diagnosticada em 60,0% dos doentes com quadro dérmico sugestivo de eritrasma, e em 20% dos doentes com outras dermatoses. CONCLUSÃO - O exame microscópico clarificado pelo hidróxido de potássio é método de pesquisa direta bastante útil e prático na confirmação laboratorial do eritrasma.

Palavras-chave: CORYNEBACTERIUM, ERITRASMA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações