Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 69 Número 2




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Formas clínicas não usuais da micose de Lobo

Unusual clinical forms of Lobo''''s mycosis


DOMINGOS BARBOSA SILVA1, ARIVAL CARDOSO DE BRITO2

1Professor Titular, Departamento de Patologia Tropical, CCS - UFPA
2Professor Adjunto, Departamento de Patologia Tropical, CCS - UFPA

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 02.08.93._ *Trabalho apresentado no 46º Congresso Brasileiro de Dermatologia, Belo Horizonte, 1991.

Correspondência:
Domingos Silva Rua Benjamin Constant, 1535 Belém PA 66035-060

 

Resumo

A micose de Lobo em mais de 90% dos casos se apresenta sob a forma clínica queloidiana, clássica, daí o nome de blastomicose queloidiana ou micose queloidiforme de Jorge Lobo, como está registrado usualmente na literatura médica. Ocorre que o Serviço de Dermatologia do Departamento de Patologia Tropical do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Pará contém, em seus arquivos, o maior número de casos conhecidos da micose, o que possibilitou identificar outras formas clínicas, assim classificadas: 1. infiltrativa; 2. queloidiana; 3. gomosa; 4. ulcerosa; 5.verruciforme. Esse fato levou os autores a criar uma classificação clínica da micose.

Palavras-chave: MICOSE, MICOSE DE LOBO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações