Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 69 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Pioderma gangrenoso: a respeito de dez casos

Pyoderma gangrenosum: about ten cases


NURIMAR CONCEIÇÃO FERNANDES1, MARIA AUXILIADORA A. DE SOUZA TAVARES2, GINA CORIOLANO REGNIER2, JUAN MANUEL PIÑEIRO MACEIRA3

1Professor Adjunto, Departamento de Clínica Médica, Dermatologia, Faculdade de Medicina - UFRJ
2Aluna do Curso de Aperfeiçoamento, Dermatologia
3Professor Adjunto, Departamento de Patologia, Faculdade de Medicina - UFRJ

_Aceito para publicação em 12.11.93._ *Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - UFRJ.*

Correspondência:
Nurimar C. F. Wanke Rua Alexandre de Gusmão, 28/201 Rio de Janeiro RJ 20520-120

 

Resumo

FUNDAMENTOS - O pioderma gangrenoso é doença cutânea rara, recorrente, destrutiva e de causa desconhecida. O diagnóstico é clínico e o tratamento permanece empírico. OBJETIVO - Relatar a casuística do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - UFRJ. MATERIAL E MÉTODO - No período 1978-1991 foram diagnosticados dez casos de pioderma gangrenoso no HUCFF-UFRJ e avaliados segundo a idade, sexo, tempo de evolução, quadro dermatológico e investigação laboratorial de rotina. RESULTADOS - Oito pacientes do sexo feminino na faixa etária de vinte a 62 anos e dois do sexo masculino de 63 e 79 anos, respectivamente, referiram tempo de evolução da doença de 15 dias a dez anos. Os membros inferiores foram a principal localização. A colite ulcerativa esteve associada em um caso. As características histopatológicas foram inespecíficas. O uso da prednisona em três casos e da associação prednisona-clofazimina em dois foi ineficaz; três casos obtiveram lenta cicatrização com antibiótico oral e cuidados locais. CONCLUSÕES - O diagnóstico foi aventado em bases clínicas e por exclusão de outras afecções; e ainda que o tratamento local combinado ao corticosteróide seja frequentemente efetivo, há um grupo de pacientes cuja doença é resistente.

Palavras-chave: PIODERMA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações