Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 69 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Tricosporonose genitocrural: estudo de quarenta casos

Genito-crural trichosporonosis: study of forty case


MÁRIO FERNANDO RIBEIRO DE MIRANDA1, ARIVAL CARDOSO DE BRITO2, UBIRAJARA IMBIRIBA SALGADO3, TARCISO NICOLAU DE CARVALHO4, DOMINGOS BARBOSA SILVA5, VÂNIA CONDE LEÃO6, ALEXANDRE LINHARES7

1Professor Adjunto de Dermatologia; Major-médico da Reserva da Aeronáutica
2Professor Adjunto e Livre-Docente de Dermatologia
3Professor Adjunto de Dermatologia; Professor Titular da Faculdade Estadual de Medicina do Pará - FEMP
4Professor Adjunto de Dermatologia
5Professor Titular de Dermatologia
6Médica, ex-estagiária de Dermatologia, Hospital da Aeronáutica de Belém
7Médico, Fundação Nacional de Saúde, Instituto Evandro Chagas, Belém, PA

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 08.8.94._ *Trabalho realizado na Clínica Dermatológica do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Pará (Chefe do Serviço: Prof. Domingos Silva), e na Seção de Dermatologia do Hospital de Aeronáuticos de Belém. Apresentado, em parte, como trabalho de investigação no 48º Congresso Brasileiro de Dermatologia, em Curitiba, PR, 1993.

Correspondência:
Mário F. R. Miranda Av. Nazaré, 1033/701 Belém PA 66035-170

 

Resumo

FUNDAMENTO - _Trichosporon beigelii_, microorganismo leveduriforme, é responsável por infecção da haste pilosa conhecida como piedra branca. Em sua variante genital, piedra branca genital ou tricosporonose genitocrural, têm sido descritas lesões eritematosas associadas em alguns pacientes. OBJETIVO - Identificar possíveis padrões de apresentação clinicolaboratorial da micose em Belém. MÉTODOS - Durante três anos, foram seqüencialmente diagnosticados quarenta casos de tricosporonose genitocrural. Dados de anamnese, exame dermatológico, exame micológico e fotografias, bem como análises estatísticas, foram levadas em consideração na identificação desses padrões. RESULTADOS - Todos os casos apresentaram lesões eritematoescamosas, com delimitação em geral precisa. Em 23 casos, havia lesões no pênis. Em apenas 11, foi possível detectar nódulos piédricos a olho nu, e, em dez, candidÍase ou _tinea cruris_ associada. CONCLUSÕES - 1. Manifestações cutâneas na amostra estudada apresentaram freqüência comparável à encontrada em estudo antes realizado no Sudeste brasileiro; 2. nenhuma diferença estatisticamente significante foi observada na amostra entre a ocorrência de lesões no pênis e na região inguinocrural, esta última tida até então como única sede de lesões; 3. em vista dos resultados, os autores recomendam exame micológico de pêlos e escamas em qualquer erupção eritematosa da genitália e áreas vizinhas.

Palavras-chave: MICOSE, PIEDRA, TRICHOSPORON

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações