Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 70 Número 1




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Emprego da talidomida em dermatologia

Emprego da talidomida em dermatologia


NELSON GUIMARÃES PROENÇA1

1Professor Pleno de Dermatologia; Sócio Honorário da Sociedade Brasileira de Dermatologia

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 07.12.94._

Correspondência:
Nelson Guimarães Proença Rua Prof. Arthur Ramos, 241/94 São Paulo SP 01454-011

 

Resumo

Revisão das indicações para uso de talidomida em Dermatologia. Entre 1965 e 1982, seu emprego já era aceito nas seguintes enfermidades: eritema nodoso hansênico, prurigo actínico, aftose recidivante, síndrome de Behçet, lúpus eritematoso discóide. A essas indicações, somaram-se outras duas, entre 1988 e 1993: as úlceras dolorosas de mucosas em pacientes HIV-infectados e a doença enxerto-versus-hospedeiro. São destacados alguns dos mecanismos de ação da talidomida já demonstrados: (a) inibição de produção de fator de necrose tumoral-alfa; (b) modificação nos receptores de superfície, em linfócitos CD-4 e leucócitos, para integrinas e outros receptores de adesão; (c) diminuição de linfócitos CD4 no sangue circulante.

Palavras-chave: LÚPUS ERITEMATOSO DISCÓIDE, ESTOMATITE AFTOSA, PRURIGO, REAÇÃO HOSPEDEIRO-ENXERTO, SÍNDROME DE BEHÇET, SÍNDROME DE IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA, TALIDOMIDA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações