Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

15

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

15

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 70 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Uso do itraconazol em 26 pacientes portadores de leishmaniose tegumentar americana

The use of itraconazole in the treatment of 26 patients suffering from american cutaneous leishmaniasis


ITAMAR SANTOS1, ITAMAR BELO DOS SANTOS2, DIVA MONTENEGRO3, ELDER ROCHA LEMOS4, TÁRCIO DOS SANTOS PEREIRA1

1Aluno do 2º ano, Curso de Especialização em Dermatologia - CEDER
2Chefe do Serviço; Professor-Orientador - CEDER
3Diretora do LAPAC
4Dermatologista do HGeR - CMNE

Aprovada pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 10.02.95. *Trabalho realizado no Centro de Estudos Dermatológicos do Recife - CEDER, em cooperação com o Laboratório de Patologias Clínicas -LAPAC e o Hospital Geral do Recife (HGeR-CMNE).*

Correspondência:
Itamar Santos Av. Santos Dumont, 332/1801 Recife PE 52050-050

 

Resumo

Resumo: FUNDAMENTOS - A leishmaniose tegumentar americana é endêmica no Nordeste brasileiro. OBJETIVO - Contribuir com mais uma avaliação do itraconazol enquanto agente terapêutico contra a leishmaniose. MÉTODOS - Vinte e seis pacientes do sexo masculino, com idade entre 18 e vinte anos, com período médio de três meses de doença foram incluídos no estudo. Como meios de diagnóstico foram usados anamnese e aspecto clínico da lesão, pesquisa direta da leishmania na lesão, reação de Montenegro e imunoflucuescência indireta. Todos os pacientes receberam 100mg/dia de itraconazol, por via oral, durante sessenta dias, tendo apenas um necessitado complementação por mais trinta dias. RESULTADOS - Foi obtida regressão total das lesões nos 26 pacientes, com seguimento de nove meses sem alterações. Os efeitos colaterais foram discretos e reversíveis. CONCLUSÃO - Considera-se o itraconazol mais uma opção terapêutica contra a leishmaniose.

Palavras-chave: LEISHMANIOSE, TERAPÊUTICA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações