Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

39

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

39

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 51 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Eritema nodoso e sarcoidose


NELSON GUIMARÃES PROENÇA1, MARCUS ANTONIO MAIA DE OLIVAS FERREIRA2, FAUSTO JOÃO FORIN ALONSO2, HELENA MÜLLER3, W. R. GARCIA4

1Professor Pleno
2Instrutor de Ensino Voluntário
3Professor Associado de Anatomia Patológica
4Residente

Trabalho realizado pela Disciplina de Dermatologia da Faculdade de Ciência Médica da Santa Casa de São Paulo

Correspondência:
Nelson G. Proença Rua Dr. César, 62 - 2º andar CEP 02013 - São Paulo - SP

 

Resumo

Dentre as variedades etiológicas que podem levar ao quadro do eritema nodoso, a sarcoidose tem sido incriminada nos países ande surge aomo doença freqüente. No Brasil, onde a sarcoidose é rara, esta etiologia do eritema nodoso tem sido objeto de escassas comunicações. Diante de um caso de eritema nodoso, com reação tuberculinica negativa e radiologia de pulmões mostrando adenomegalias para-traqueo-brônquicas, deve-se pensar na possibilidade de sarcoidose, dentro da variedade conhecida como "Síndrome de Löfgren". O procedimento para complementação do diagnóstico é a biópsia da gordura pre-escalênica, que revela a característica estrutura sarcoídica nos gânglios ai existentes. A intradermorreação de Kveim não é método de rotina entre nós, pela dificuldade na obtenção do antígeno. Além do mais, o valor desta reação continua a ser objeto de polêmica. Os autores tiveram a oportunidade de acompanhar um caso de eritema nodoso conseqüente a sarcoidose, na Santa Casa de São Paulo. O diagnóstico foi teco pelo quadro clínico, pela confirmação radiclógica de adenopa''''.ias mediastinais, pela histopatelogia de ginglias e pela esta de Kveim positivo. A presente comunicação teve por objetivo chamar a atenção para um diagnóstico que poucas vezes tem sido feito no Brasil.

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações