Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

15

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

15

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 70 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Tratamento da alopecia areata com antralina: estudo comparativo dos resultados obtidos entre crianças e adultos

Treatment of alopecia areata with anthralin: comparative study of results obtained among children and adults


IDA ALZIRA GOMES DUARTE1, JANE TERUMI NAKANO YOSHINO2

1Assistente de clínica. Responsável pelo Setor de Alergia.
2Médica dermatologista em estágio de especialização.

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 01.8.95._ *Trabalho realizado na Clínica Dermatológica da Santa Casa de São Paulo.*

Correspondência:
Ida Duarte Rua Monte Alegre, 523/101 São Paulo SP 05014-000

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Alopecia areata (AA) é uma dermatose de difícil tratamento e que tem várias modalidades teraêuticas. OBJETIVOS - Avaliar a eficácia terapêutica da antralina no tratamento da AA e verificar diferenças na resposta ao tratamento realizado, quando separados os pacientes em dois grupos, sendo um de crianças e outro de adultos. MÉTODOS - Durante o período de 3,5 anos (julho de 1990 a dezembro de 1993), foram avaliados 74 pacientes com diagnóstico de alopecia areata grave, apresentando mais de 50% de comprometimento do couro cabeludo. Todos os pacientes foram submetidos à aplicação tópica diária de antralina entre 1-2% em creme, com duração do contato variável entre uma a oito horas, de acordo com a tolerabilidade do paciente. RESULTADOS - Dos 74 pacientes, 43,5% apresentaram repilação moderada; 13,5%, repilação discreta; e 24,0% não demonstraram resposta ao tratamento. Separando os pacientes em grupo de crianças (até 14 anos) e adultos (14 anos ou mais), obtiveram-se os seguintes resultados: 1. no grupo de crianças, 61% tiveram repilação total; 25%, repilação moderada; 11%, repilação discreta; e 3% não responderam ao tratamento; 2. no grupo de adultos, 33% repilaram totalmente; 15% tiveram repilação moderada; 15%, repilação discreta; e 37% não repilaram. CONCLUSÃO - A análise estatística desses dados, pelo método do qui-quadrado, demonstou diferença significativa (p<0,05), confirmando, assim, a maior e eficiência do tratamento da alopecia areata com antralina, em crianças com idade de até 14 anos.

Palavras-chave: ANTRALINA., ALOPECIA EM ÁREAS

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações