Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 70 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

A pele do idoso: a propósito de 150 observações

The skin of the elderly: the results of 150 observations


GLADYS A. M. CAMPBELL1, RENATO MAIA GUIMARÃES2, GRACE CALDAS3, JORGETH DE OLIVEIRA CARNEIRO DA MOTTA3

1Dermatologista
2Geriatra
3Médica residente

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 09.10.95._ *Trabalho realizado no Hospital Universitário de Brasília - HUB.*

Correspondência:
Gildays A. M. Campebell SQS 207 Bloco A/301 Brasília DF 70253-010

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Certas doenças inflamatórias, infecções e neoplasias da pele aumentam em prevalência com a idade. Além disso, na pele senil, ocorrem características de envelhecimento cutâneo intrínseco e extrínseco. OBJETIVOS - INdentificar alterações cutâneas em 150 pessoas com idade igual ou superior a sessenta anos e analisar os resultados. MÉTODOS - Durante o período de um ano (janeiro de 1994 a dezembro de 1994), foram examinados cinqüenta pacientes no ambulatório de dermatologia do Hospital Universitário de Brasília (HUB) e cinqüenta pacientes hospitalizados na enfermaria de clínica médica do mesmo hospital; os dados foram comparados com os obtidos de cinqüenta voluntários saudáveis. RESULTADOS - Os achados mais relevantes foram: rugas (94,6%), canície (84,6%), estrias longitudinais nas unhas (64%), angioma rubi (59,3%), xerodermia localizada (52,6%), pêlos pubianos lisos (46,6%), ceratose actínica (46%), hipomelanosee em gota (44%), dermatofitose (33,3%) e dermatite seborréica (26,6%); entre os tumores malignos, o mais freqüente foi o carcinoma basocelular (CRC)(13,3%). CONCLUSÕES - Os dados obtidos coincidem com os relatados na literatura, não tendo sido detectadas diferenças significativas entre os três grupos, à exceção da freqüência de CBC, que foi maior entre os pacientes do que no grupo controle.

Palavras-chave: DERNATIPATIAS, ENVELHECIMENTO DA PELE., IDOSO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações