Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 81 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Carcinoma basocelular - Análise de 300 casos observados em Uberlândia - MG

Basal cell Carcinoma - Analysis of 300 cases observed in Uberlândia - MG, Brazil


SONIA ANTUNES DE OLIVEIRA MANTESE1, ALCEU LUIZ CAMARGO V. BERBERT2, MABEL DUARTE ALVES GOMIDES3, ADEMIR ROCHA4

1Professora-adjunto IV de Dermatologia, Universidade Federal de Uberlândia - UFU - Uberlândia (MG), Brasil.
2Professor-assistente de Dermatologia, Universidade Federal de Uberlândia - UFU - Uberlândia (MG), Brasil.
3Médica dermatologista, Universidade Federal de Uberlândia - UFU - Uberlândia (MG), Brasil. Título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD.
4Professor titular de Anatomia Patológica, Universidade Federal de Uberlândia - UFU - Uberlândia (MG), Brasil.

Recebido em 16.12.2005. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 20.02.2006. Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia - HC/UFU - Uberlândia (MG), Brasil. Conflito de interesse declarado: Nenhum _Como citar este artigo:_ Mantese SAO, Berbert ALCV, Gomides MDA, Rocha A. Carcinoma basocelular - Análise de 300 casos observados em Uberlândia - MG. An Bras Dermatol. 2006;81(2):136-42.

Correspondência:
Sônia Antunes Oliveira Mantese Av. Pará, 1979, Bairro Umuarama 38405-320 - Uberlândia - MG "E-mail":mailto:dermato@hc.com.br

 

Resumo

*Fundamento:* O carcinoma basocelular é o câncer da pele mais comum, compreendendo 75% dos tumores epiteliais malignos. Localiza-se na face e acomete indivíduos brancos, acima de 40 anos de idade, com história de exposição repetitiva à luz solar. *Objetivo:* Descrever o carcinoma basocelular em suas variáveis epidemiológica, clínica e histopatológica. *Casuística:* Realizou-se estudo transversal de 300 pacientes com carcinoma basocelular atendidos no Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas, no período de 1999 a 2003. Foram preenchidos protocolos com identificação do paciente, história de exposição solar e caracterização do carcinoma basocelular. *Resultados:* Foram identificadas 447 lesões de carcinoma basocelular nos 300 pacientes estudados, cuja maioria era do sexo feminino (59,3%) e da raça branca (93%), com história de exposição solar (90,3%), apresentando lesão única (74%), predominantemente facial (77% das lesões). O tipo histopatológico mais freqüente foi o nodular (46,3% das lesões), com predomínio do superficial no tronco. *Conclusões:* Observou-se predomínio do carcinoma basocelular no sexo feminino, demonstrando a tendência atual desse tumor. A presença de vários tumores sucessivos ou simultâneos em um mesmo paciente salienta a importância de exames periódicos nesses doentes. Não se estabeleceu correlação entre os tipos clínicos e histopatológicos. Confirmou-se que o tipo superficial é mais freqüente no tronco.

Palavras-chave: CARCINOMA BASOCELULAR, EPIDEMIOLOGIA, NEOPLASIAS CUTÂNEAS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações