Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 39 Número 2




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Epidermo-reação com iodeto de potássio e brometo de potássio em indivíduos portadores de pênfigo ou dermatite de Duhring-Brocq


LUIZ MARINO BECHELLI1, WALTER DE PAULA PIMENTA2

1Catedrático
2Assistente

*Trabalho do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, apresentado à Reunião dos Dermatologistas Brasileiros, Belo Horizonte, julho de 1958.*

 

Resumo

Os AA. realizaram epidermo-reações com iodeto de potássio (1%, 10%, 25% e 50%) e brometo de potássio (10% e 33,33%), tamisados ou não, em indivíduos não portadores da moléstia de Duhring-Brocq, tendo obtidos os seguintes resultados: Deduze no seguinte: 1. Com o IK e BrK sobretudo tamisados obtiveram epidermo-reações positivas em indivíduos não portadores de dermatite de Duhring-Brocq. Com as concentrações mais elevadas dos halógenos, tende a ser maior a frequência de positividade. 2. Em geral houve concomitância de positividade dos testes com IK E BrK: quando positivo o de BrK também o era de IK. 3. Quanto à correlação entre os resultados dos testes e a ingestão ou uso local dos halógenos, embora as informações por parte de muitos doentes fôssem imprecisas, observaram que dos 37 pacientes que referiram ter feito uso anteriormente de iodo, em 6 as epidermo-reações foram positivas. 4. Em 6 crianças, até 10 anos de idade, o número de provas positivas, com IK e BrK não tamisado, foi mais elevado que o obtido com os adultos, mesmo com a tamisação no preparo das substâncias para os testes. 5. Admitindo que seriam confirmados os dados sôbre a elevada positividade dos testes com IK e BrK na dermatite de Duhring-Brocq, a reatividade cutânea em pessoas normais, em percentagens variáveis, diminuiria o valor diagnóstico dessas provas.

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações