Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 79 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Avaliação laboratorial dos efeitos colaterais pelo uso da acitretina em crianças portadoras de ictiose lamelar - seguimento por um ano

Evaluation of the side effects of acitretin on children with ichthyosis - a one-year study


MARIA DE FÁTIMA DE MEDEIROS BRITO1, IARA PESSOA SANT'ANNA2, FABIA VASCONCELOS DE FIGUEIROA3

1Professora substituta da UFPE e médica dermatologista da UPE/Cisam.
2Médica dermatologista da UPE/ Cisam.
3Mestranda em dermatologia da UFPE.

Recebido em 18.07.2003. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 12.03.2004. Trabalho realizado Ambulatório de Dermatologia/Medicamentos excepcionais - Cisam/Universidade de Pernambuco - Recife/PE

Correspondência:
Maria de Fátima de Medeiros Brito Rua João Ramos, 211/2601 - Graças 52011-080 Recife PE Tel./Fax: (81) 3423 - 2185 "E-mail":fatimabrito@elogica.com.br

 

Resumo

*Fundamentos:* Os retinóides orais representam uma das principais terapêuticas dermatológicas nas últimas décadas e têm sido indispensáveis para o tratamento das desordens de queratinização, particularmente a psoríase, ictioses e acne. *Objetivos:* Avaliar a tolerabilidade da acitetrina com atenção para os efeitos no metabolismo lipídico, função hepática e no sistema osteoarticular em crianças portadoras de ictiose lamelar. *Métodos:* Estudo prospectivo de 10 crianças portadoras de ictiose lamelar avaliadas clínica e laboratorialmente pelo período de um ano. Cada paciente foi inicialmente tratado com 10mg.dia ou aproximadamente 0,5mg.kg-1.dia. As doses foram ajustadas de acordo com a eficácia clínica e mantidas por um ano. *Resultados:* Das 10 crianças estudadas, todas evoluíram com alguma resposta clínica satisfatória ao final de um ano de acompanhamento. Não foram observadas alterações nas transaminases e nos lipídeos séricos, e, das seis crianças em que foi estudada a idade óssea, apenas uma apresentou alteração. *Conclusâo:* O uso da acitretina, quando administrada em doses adequadas e pelo período de um ano, é seguro e eficaz, sendo justificada sua utilização pelos benefícios dessa medicação e tendo em vista a insignificância das alterações laboratoriais apresentadas no estudo em questão.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações